Buraco do Inferno em Forte Coimbra

Conheça brevemente a história

Coronel português que projetou o Forte Coimbra, Ricardo Franco deixou em sua fachada a escrita “Repelir o inimigo ou sepultar-se debaixo das ruínas do forte”. Com o tempo recebeu a homenagem de ter seu nome na gruta que faz parte do complexo turístico do local, em Corumbá, antes conhecida como Buraco do Inferno.

Gruta Ricardo Franco Buraco do Inferno

Não há registro de quando a gruta foi descoberta e é ainda um lugar conhecido por poucos e não muito explorado. O único fator histórico é a escrita deixada pelo Capitão Rondon na parede da gruta em sua passagem pela cidade.


“Capitão Rondon em visita à célebre gruta, penetrou pela primeira vez no dia 12 de Aristóteles de 115, em visita de reconhecimento para instalação das linhas telegráficas em forte Coimbra.”
A data se refere a 09 de março de 1903.

Buraco do Inferno com cara de paraíso

Buraco do Inferno

Esta gruta é a 5ª maior do Estado de Mato Grosso do Sul e está entre as 50 maiores do país. Para chegar a esse incrível lugar, o caminho já é um atrativo, pois são 2 horas navegando pelo rio Paraguai em meio à biodiversidade exuberante do Pantanal. Lá, você se depara com um lago natural de águas transparentes em seu interior e muito a se explorar entre estalactites e estalagmites.

O calor no interior da gruta é muito grande e apenas 3 espécies de animais sobrevivem lá dentro: morcego, grilo albino e camarões.

Buraco do Inferno

Essa é uma aventura imperdível!

Vários causos são contados sobre o local. Muitas histórias envolvem nossos amigos extraterrestres e a mais conhecida é a do padre que foi explorar a caverna e desapareceu. Momento de lembrar que o acesso à gruta só pode ser feito com a autorização e acompanhamento do Exército.

É um lugar impressionante e quem gosta de histórias, como a gente, vai gostar muito de conhecer.

Dizem os moradores mais antigos que existem várias outras grutas mais afastadas e ainda não totalmente exploradas. E aí, se anima?!

| Destinos

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: