Lugares pelo mundo que pagam para morar lá!

Muitas pessoas têm o sonho de tentar viver fora do Brasil. E, a cada dia, vem sendo mais comum cidades do exterior que pagam para morar afim que imigrantes possam aumentar seus índices populacionais em vilas antigas ou municípios que estão se esvaziando.

Fizemos uma lista com lugares que dão incentivo para a sua mudança. No entanto, fica o alerta sobre os requisitos que precisam ser preenchidos para que a migração seja legal.

Ilha de Miyakejima, Japão

Vamos logo começar com uma ideia para quem gosta de adrenalina! Um lugar exótico de se viver, a ilha de Miyakejima é um local com a maior concentração de gás sulfúrico do mundo. E, por isso, o governo japonês paga um bom valor a quem estiver disposto a ajudar a descobrir quais os efeitos do gás no corpo humano.

E aí, não se importa em ser cobaia?


Candela, Itália

Com um grande número de jovens se mudando para capitais em busca de oportunidades profissionais, a cidade italiana de Candela passa por problemas de despopularização, com o número de moradores passando de 8 mil para 2,7 mil pessoas em 2017. A solução do governo foi propor dar uma quantia para quem se mudasse para lá.

O números giram em torno de € 800 (equivalente a R$ 3 mil) para os solteiros, € 1,2 mil (R$ 4,5 mil) para casais, € 1,8 mil (R$ 6,8 mil) para famílias com até três pessoas e € 2 mil (R$ 7,8 mil) para famílias com mais de quatro pessoas. Os requisitos: conseguir um emprego na região com renda de pelo menos € 7,5 mil e alugar ou comprar uma casa.


Ponga, Espanha

Quase sem habitantes, o governo espanhol tem uma política de repovoamento na cidade de Ponga. Oferecido somente para casais, quem escolher morar lá recebe até € 3 mil para viver por cinco anos na região.


Utrecht, Holanda

Quem escolhe viver na cidade holandesa de Utrecht recebe um incentivo de € 900. Porém diferentemente das demais cidades citadas aqui, isso não acontece pela falta de habitantes, mas para observar o grau de produtividade de pessoas que recebem incentivos do governo e não precisam trabalhar. Que excelente experimento, não é mesmo?


Tristan da Cunha, Reino Unido

Com apenas 267 habitantes, Tristan da Cunha é a mais remota ilha habitada do no mundo. Está situada entre a América do Sul, o Oceano Atlântico e a África, e possui uma única rua pavimentada.  Bom, para levar mais gente até ela, o governo paga £ 25 mil por ano, banca o transporte e dá moradia para os candidatos.


Saskatchewan, Canadá

Para morar na província de Saskatchewan, você precisa apenas comprovar proficiência em inglês, ser recém-formado e já morar por lá durante 7 anos. Por lá, você pode requerer uma espécie de pensão de 13 mil euros por ano do governo canadense. Talvez o teste de nível de inglês seja pronunciar o nome da cidade!


Estados Unidos

O governo americano recebe você de braços abertos e dólares no bolso em várias cidades do país. Lugares como o Alaska -e sua temperatura que pode chegar a -50º – estão recrutando pessoas para serem povoados. Niagara Falls, New Heaven e Detroit também estão entre as cidades americanas que oferecem incentivos para pessoas morarem e trabalharem por lá. Cada uma das cidades tem seus próprios requisitos. Você encontra mais aqui informações nos links

https://renewhavenct.com/
www.detroitlivedowntown.org
pfd.alaska.gov


Aqui no Brasil, pelo menos por enquanto, não existe nenhum caso assim registrado, então de repente é a hora de aprender uma língua estrangeira, né?!
E aí, partiu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *