Os pontos turísticos e as riquezas culturais de Campo Grande MS

Traços arquitetônicos identificam a nossa história e homenageiam quem faz parte dela. Vamos falar um pouco dos monumentos que marcam e embelezam Campo Grande MS?

PARQUE DAS NAÇÕES espaço de lazer, contemplação, prática desportiva e cultura!

Monumento à Zarabatana

Monumento à Zarabatana ou, como é mais conhecido, Monumento ao Índio. Uma construção com aproximadamente 12 metros, localizada próxima ao centro do parque. Trata-se da escultura de uma arma de sopro que lança dardos envenenados, quando se pensava que tribos indígenas usavam esse equipamento em MS.

https://www.youtube.com/watch?v=2CSd3Clv_kY

Cavaleiro Guaicuru

O monumento, uma estátua de um cavalo montado por um índio guerreiro Guaicuru, tem sete metros de comprimento por quatro de altura e pesa cerca de 900 quilos Uma homenagem aos índios Guaicurus.

A estátua de um cavalo montado por um índio guerreiro foi construída em armação de ferro e revestida com uma mistura de resina e pó de mármore, com sete metros de comprimento por quatro de altura e cerca de 900 quilos. A obra é do escultor sul-mato-grossense Anor Mendes.

Concha Acústica Helena Meirelles

Planejada para que uma pessoa pudesse ser ouvida num raio de 30 metros sem elevar a voz, a Concha Acústica Helena Meirelles foi inaugurada em 11 de outubro de 2003 e seu nome é em homenagem a violeira sul-mato-grossense Helena Meirelles.

Palácio das Comunicações

Localizado no Parque dos Poderes, a torre de 100 metro de altura é considerada a mais alta do mundo em alvenaria de tijolos. O acesso ao público se dá por uma ponte metálica de arcos.

PRAÇA DA REPÚBLICA conhecida simplesmente como praça do Rádio

Monumento da Imigração Japonesa

Inaugurado no dia 26 de Agosto de 1979 e localizado na área central Praça do Rádio Clube, o monumento representa a maquete de uma casa típica no Japão, homenageando a imigração japonesa.

Concha Acústica Família Espíndola

Gil Carlos de Camillo fez o projeto que se tornou patrimônio cultural da cidade. Construída na praça do Rádio Clube, em uma área de 320m², a Concha Acústica Família Espíndola se tornou um espaço de manifestação cultural aberto ao público e recebeu esse nome em homenagem ao trabalho da família artística sul-mato-grossense, especialmente à cantora Tetê Espíndola.

Estátua de Vespasiano Barbosa Martins

A estátua localizada na praça do Rádio é uma homenagem a Vespasiano Martins, que foi prefeito de Campo Grande à época da Revolução de 1932, foi um governador revolucionário e senador por dois mandatos.

DUQUE DE CAXIAS cheia de grandes monumentos e atrações

Monumento do Aviador

O avião que, dizem, foi usado na Segunda Guerra Mundial guarda a entrada da Base Aérea, em homenagem ao Tenente Aviador Chaves Filho, subcomandante da Base.

Monumento Pantanal Sul

O Monumento Pantanal Sul no é composto pelas esculturas em formato de três tuiuiús que ficam na praça Brigadeiro Faria Lima, em frente ao aeroporto de Campo Grande. Os tuiuiús são uma alusão aos aviões, representando as posições de pouso, decolagem e abastecimento, e recentemente foram nomeados de Zé Bicudo, Majestoso e Asa Branca.

Relógio das Flores

Inaugurado em 2012, com três metros de diâmetro e ponteiros de alumínio com pinturas anticorrosiva, o Relógio das Flores é composto por plantas e flores.

Seu funcionamento era acionado por energia elétrica, o relógio conta com bateria interna e carregador flutuante que garante o funcionamento mesmo que faltasse energia por vários dias. Porém, alvo de vândalos, o monumento não foi reparado e atualmente não funciona.

Guampa de tereré

A gente já sabe como é feita uma guampa de tereré.  Por isso, uma escultura de 300 quilos no formato de uma guampa gigante de tereré representa bem o maior hábito do campo-grandense e se tornou ponto turístico na cidade.

CAMPO GRANDE é rica em história, por todos os lados

Praça das Araras

Também conhecida como Praça da União, e lá que se encontra a obra criada em 1996 pelo artista plástico Clair Ávila, que buscava despertar a população para a informação da preservação da arara azul, ave em extinção considerada a maior e mais bela arara do mundo.

Cabeça de Boi

Outro símbolo histórico em Campo Grande é a cabeça de boi. Hoje representada por um monumento que fica em frente à Praça das Araras, no Bairro Amambaí, a Cabeça de Boi era de fato a ossada de um crânio de boi, fixada antigamente por um açougueiro, para orientar o caminho das fazendas da antiga Campo Grande.

Relógio Central

Originalmente instalado na rua 14 de Julho com a avenida Afonso Pena, no ano de 1933, o Relógio Central foi ponto de encontro para reuniões e comícios políticos. Nos anos 1970, ele foi demolido, dando lugar à réplica que veio anos depois, em 2000, em comemoração aos 100 anos de Campo Grande. Desta vez, construído na avenida Calógeras, com 5 metros de altura e 4 faces.

Obelisco

Situado no cruzamento entre a Avenida Afonso Penna e Rua José Antônio Pereira, o Obelisco foi projetado pelo engenheiro Newton Cavalcante, para homenagear o fundador da cidade, José Antônio Pereira. Construído em 1933, o monumento foi tombado como Patrimônio Histórico da cidade em 1975.

Busto de José Antônio Pereira

Localizado no canteiro central da avenida Afonso Penna com a avenida Calógeras, o monumento é uma homenagem da Colônia Libanêsa ao Fundador de Campo Grande.

Monumento dos Imigrantes

Obra da artísta plástica Neide Ono, o Monumento dos Imigrantes foi construído em 1996, para chegada das primeiras famílias de migrantes a Campo Grande. Situada na confluência dos córregos “Prosa” e “Segredo”, local onde José Antônio Pereira levantou o primeiro rancho, entre as Avenidas Fernando Corrêa da Costa e Ernesto Geisel.

Praça do Papa

A praça do Papa foi construída para homenagear o João Paulo 2º, que visitou Campo Grande e rezou uma missa, em 1991. O local conta com uma estátua de 3,60 metros de altura do papa João Paulo 2º, sobre um pedestal com 1,5 metro.

Casa do Artesão

Integrando o patrimônio histórica cultural de Campo Grande, a Casa do Artesão foi inaugurada em 1975 a fim de devolver serviços públicos que auxiliem e fomentem as atividades artesanais no Estado de Mato Grosso do Sul. O projeto é do engenheiro Camilo Boni.

Morada do Baís

Considerada patrimônio histórico do município pelo decreto de tombamento nº 5.390, de 4 de junho de 1986, a Morada dos Baís é um dos primeiros sobrados edificados em alvenaria na cidade, sendo residência da família de Bernardo Franco Baís (1913-1918), hotel na década de 1940, pensão, comércio e hoje é espaço cultural em Campo Grande.

O Beijo

Com 14 metros lineares por 4m de altura, o monumento é feito de concreto armado e retrata dois peixes carás se beijando, fazendo uma alusão ao romantismo do lugar que paira sobre o Lago do Amor.

Sobá

A estrela culinária de Campo Grande não poderia ficar de fora! A escultura do sobá é a melhor representante da nossa atual cultura, na vinda dos imigrantes okinawanos para a capital.

Manoel de Barros

A mais recente obra construída em Campo Grande é uma homenagem ao poeta que, embora mato-grossense, passou parte significativa de sua vida no Mato Grosso do Sul. Com cerca de 400 quilos, a obra retrata um momento dele sentado no sofá de casa, com sorriso cativante e trajes simples.

Cada pedacinho da cidade tem uma história pra contar! S2

Compartilhe

Ficamos felizes com seu comentário