Valorização do Cavalo Pantaneiro

Todas as peculiaridades do Pantanal formaram um tipo único de equino, com características só dele, que foram adquiridas durante quatro séculos, desenvolvendo-se conforme o meio complexo em que vivem. O cavalo pantaneiro é resistente e forte, como o verdadeiro sul-mato-grossense!

Raça se adaptou ao Pantanal

Originário do Cavalo Crioulo Argentino, sua história se inicia na época da colonização do país, tempo em que os animais eram forçados a sobreviver em qualquer ambiente, mesmo os mais difíceis.

Láaaá em 1736, o Pantanal foi povoado por grandes manadas de cavalos, mas as dificuldades de comunicação por conta da distância – e das cheias que bem conhecemos -, o cavalo pantaneiro acabou ficando isolado por muito tempo e, assim, longe dos cruzamentos desordenados.

Ali, ele se adaptou! Tornou-se uma raça de equino extremamente resistente e ajustado ao ambiente quente e úmido do Pantanal e também às longas distâncias que têm de ser percorridas.

Afinal, nada pode parar os trabalhos nas fazendas. Então, peões mantêm os rebanhos em segurança e condizem a boiada, nas travessias de rios e pastos inundados, montados em seus cavalos pantaneiros, que “enterram” a cabeça na água e pastam, passando até o dia inteiro com as quatro patas enfiadas no barro e na lama.

Características do Cavalo Pantaneiro

Dócil, mas de temperamento vivo e corpo robusto.
Com corpo largo e cauda curta, o peso do cavalo pantaneiro gira em torno de 350 kg e sua estatura fica na média de 1,42m.

A pelagem do cavalo pantaneiro é predominantemente tordilha, depois baia, pedrês e castanha. Mas também pode ser encontrado com outros tipos.

Mesmo considerado antigamente apenas para o trabalho em ambientes inóspitos, como o Pantanal, o cavalo pantaneiro também foi reconhecido em competições, apresentando como diferencial diante de outras raças o fato de ter a exigência alimentar menor.

Mas ele ainda reúne as principais características de um cavalo de sela, tendo andamento macio e confortável, como o trote, com tração predominantemente dianteira.

Essencial para os moradores do Pantanal, o cavalo pantaneiro chegou a ser quase extinto, em razão do indiscriminado cruzamento com outras raças e por doenças.

Assim, surgiu a Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Pantaneiro, com o objetivo de conservar a raça, que ainda se encontra vulnerável.

Agora, em pleno período de cheia, o cavalo pantaneiro alcança lugares que nem mesmo os veículos mais potentes conseguem chegar. Quanta forragem esse guerreiro merece?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *