É preciso ser tropófila para sobreviver ao bioma Cerrado

Plantas tropófilas vivem em um clima de alternância de pluviosidade extrema. Elas apresentam raízes profundas e são, em geral, de pequeno porte, com galhos retorcidos e folhas grossas, para suportar o período de estiagem.

Essas plantas apresentam características perfeitas para viver em uma área com mais de dois milhões de quilômetros quadrados, que ocupa cerca de 22% do território nacional, o  chamado bioma cerrado considerado o segundo maior da América do Sul, e também conhecido como a “savana brasileira” em razão das semelhanças ao clima, relevo e vegetação.

Características do cerrado

Localizado na porção central do país, distribuído entre 12 estados, o relevo do cerrado, em geral, é bem plano, estendendo-se por imensos planaltos ou chapadões.

Uma das principais características do cerrado são as plantas que se adaptam a ele, com sua disponibilidade de água, clima e acidez do solo, que é profundo, poroso e permeável e de cor vermelha ou vermelha amarelada.

Por encontrar-se em um clima, predominantemente, tropical, caracterizado por invernos secos e verões chuvosos, a vegetação no cerrado é constituída por plantas caducifólias, que caem as folhas no período de estiagem, e tropófilas, que se adaptam às duas estações distintas, como acontece por aqui, no Centro-Oeste e, mais específico ainda, no Pantanal.

Vegetação tropófila no Bioma Pantanal

Como já vimos aqui, o Pantanal é o reino das águas, possuindo uma das maiores extensões alagadas do planeta. Se na estação seca, o horizonte ganha campos, bancos de areia, ilhas e canais, quando chega a vez das chuvas, as áreas mais baixas rapidamente se inundam, metamorfoseando a região em um “grande mar” .

E é nessa hora que a vegetação tropófila mostra a que veio, adaptando-se a essa mudança.

Algumas das plantas mais conhecidas da região são olho-de-cabra, orelha-de-onça e o arbusto de murici-do-campo.

A flora do Pantanal é constituída por plantas migradas do Cerrado, da Amazônia, do Chaco e da Mata Atlântica, o que faz surgirem raras espécies exclusivas do Pantanal.

Essas plantas fazem parte de um grande nicho ecológico de condições diversas, nos quais proliferam variados tipos de vegetação, cada um, por sua vez, condicionando uma fauna especial. A nossa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *