Com mais de 1 milhão de km quadrados, distribuídos por 17 estados brasileiros, a Mata Atlântica era a segunda maior floresta úmida da América do Sul, ocupando 15% do território nacional.

Mas a ocupação urbana fez com que a mata sofresse alterações drásticas, em consequência das atividades extrativistas, que levaram à quase extinção do pau-brasil, e depois com os ciclos de agricultura: o açúcar, o café e o gado, mudando a sua realidade e a reduzindo a apenas 8% da cobertura vegetal original.

By Renato Augusto Martins – Own work, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=58772864

A boa notícia depois de tanta destruição é que o desmatamento da Mata Atlântica, entre 2016 e 2017, teve queda de 56,8% em relação ao período anterior (2015-2016), segundo levantamento da Fundação SOS Mata Atlântica, ONG cuja missão é defender e conservar os patrimônios naturais e históricos do bioma.

Conforme os dados, foram destruídos no último ano 12.562 hectares, ou 125 Km², nos 17 estados do bioma. Entre 2015 e 2016, o desmatamento foi de 29.075 ha. Desde que começou a ser medido, em 1985, esse é o menor número de desmatamento.

Sete estados beiram o desmatamento zero, com desflorestamento em torno de 100 hectares (1 Km²). Ceará e Espírito Santo, com 5 hectares (ha), são os estados com o menor total de desmatamento no período. São Paulo (90 ha) e Espírito Santo ganharam destaque pela maior redução do desmatamento em relação ao período anterior. Foram 87% e 99% de queda, respectivamente.

By Vitor Vieira Vasconcelos – Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=21040953

Os demais estados no nível do desmatamento zero foram: Mato Grosso do Sul (116 ha), Paraíba (63 ha), Rio de Janeiro (49 ha) e Rio Grande do Norte (23 ha).

O que ganhamos com a preservação da Mata Atlântica

Localizado em região tropical, o bioma Mata Atlântica acompanha a costa atlântica brasileira e concentra uma grande diversidade de ecossistemas e nichos ecológicos. Rica e singular em biodiversidade, a Mata Atlântica ajuda a controlar o clima, abriga plantas medicinais e é rica em espécies da fauna nacional.

Estima-se ainda que a Mata Atlântica forneça água para mais de 60% da população e garanta o abastecimento de mais de 120 milhões de pessoas, abrigando rios do porte do Paraná, Tietê, Doce, Paraíba do Sul, São Francisco, Paranapanema e Ribeira do Iguapé.

By Renato Augusto Martins – Own work, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=58772867

Dia 27 de maio, comemora-se o Dia Nacional da Mata Atlântica. A data foi criada para lembrar a importância desse grande bioma e para marcar, sobretudo, a necessidade de acabar com o desmatamento, recuperar o que foi degradado e ampliar o número de áreas protegidas.

E, com esse presente, o paraíso perdido dá o seu recado: é possível reduzir o desmatamento e alcançar o desmatamento ilegal zero. Mas, mesmo com esse resultado positivo, o cuidado com a Mata Atlântica ainda se faz necessário, para preservamos a beleza natural do nosso planeta antes de o homem começar a modificá-lo.

Bom, apesar de ser uma das regiões mais ameaçadas do planeta, a Mata Atlântica apresenta alta capacidade de regeneração. Inspiração para você, que é um dos 122 milhões de moradores deste fantástico bioma.

| Oriente-se

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: