Habituado a áreas residenciais, não é surpresa ver notícias sobre a presença de gambá em locais inusitados, como em loja de bebidas, na máquina de lavar roupas ou na Câmara de Vereadores da Capital

Mas não podemos nos esquecer que o habitat natural dos gambás é a floresta.

Gambá Mato Grosso do Sul

Onde vive o Saruê

Pela América do Sul, o saruê pode ser encontrado na Argentina, na Bolívia, na Venezuela, no Uruguai, nas Guianas, no Paraguai e no Brasil.

Em Mato Grosso do Sul, é mais comum toparmos com o gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) e o gambá-comum (Didelphis marsupialis).

Alimentação do Gambá Saruê e a importância para florestas

Com hábitos alimentares bem amplos, os gambás são considerados onívoros, alimentando-se de frutas, cereais, pássaros, anfíbios, invertebrados, pequenos mamíferos, cobras e lagartos.

Se estiver dando bobeira, ele também não dispensa lixo na sua dieta, por isso não é raro encontrá-lo pelas ruas à noite.

Mais facilmente ao alcance do gambá em Mato Grosso do Sul estão as frutas.

A ingeri-las, as sementes saem do seu estado de dormência, tornando-se prontas para a germinação assim que saem juntamente com as fezes, sendo um importante dispersor de espécies arbóreas nas florestas.

Gambá brasileiro
By Alex Popovkin, Bahia, Brazil from Brazil – Didelphis albiventris (Lund, 1840)Uploaded by Melchoir, CC BY 2.0, Link

Mesmo com essa grande diversidade de presas, o Saruê não é muito ágil, com exceção para subir em árvores.

A vida do Saruê

Com aparência de uma ratazana tamanho GG, o Saruê arrepia os pelos, faz careta e mostra os dentes afiados, quando se sente ameaçado.

Mas a cara de mau não engana. O gambá é super da paz e até se finge de morto para não entrar em uma briga.

Nosso marsupial – nome relacionado à presença de uma bolsa na pele, conhecida como marsúpio, que fica no ventre da fêmea – hábitos são solitários.

Porém, em tempos de acasalamento, os gambás formam casais para reprodução, que pode acontecer até três vezes durante o ano, nascendo de 10 a 20 filhotes.


As fêmeas do gambá possuem dois úteros, duas vaginas laterais e uma vagina mediana, também chamada de canal pseudovaginal (Girl Power)

Os machos têm um pênis bifurcado para a disseminação do sêmen para o interior das duas vaginas da fêmea, facilitando a reprodução

Como outros marsupiais, ao invés de nascerem filhotes, nascem embriões com cerca de um centímetro de comprimento e, na bolsa da mãe, encontram as mamas.

O casal constrói sua própria casa, um ninho com galhos e folhas secas.
Ao completarem 4 meses, os filhotes abandonam o marsúpio e agarram-se ao dorso da mãe.Crescem de 40 a 50 cm, sem contar a cauda.

Em cativeiro, o período de vida do gambé é de dois a quatro anos, mas naturalmente é de de 4 a 5 anos, pesando de 3 a 5 quilos, em média.


Cheiro de gambá

O gambá produz, na região das axilas, um líquido com odor bem forte e desagradável, que usa para espantar outros animais


No caso das fêmeas, é usado ainda na época de reprodução para atrair o macho.

Origem do nome gambá

O nome gambá tem origem na língua tupi-guarani – “guaambá”- que significa “mama oca”, uma referência a bolsa ventral (marsúpio) onde ficam as mamas e os filhotes vivem durante o primeiro período de desenvolvimento.

Por se encontrar em áreas urbanas e conviver tão próximo ao seu humano, os gambás sofrem atropelamentos e ataques pessoas que o desconhecem. Então, agora que você já sabe que é um bichinho inofensivo, compartilhe com todos!

| Animais Silvestres

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário:
Denis
Nosso amigo saruê faz um teatro incrível qdo ameaçado, parece ser o mais feroz animal, mas chega a ser dócil, porém, é extremamente frágil....não incomum ser morto por imbecis que desconhecem sua importância e simpatia, mas além disso por animais domésticos (cachorros)....é um animal que aprendí a admirar e amar, aqui no litoral de São Paulo temos aos montes....conforme o local, ele sempre vem espiar churrascos, festas....já sabendo das sobras, até pq é muito inteligente e de fácil adaptação!
Minarê
Foi solicitado pela escola da minha filha que nós, pais, fizéssemos pesquisa sobre animais em extinção. Tanto nível alto quando baixo. Fiquei super feliz em conhecer esse animalzinho. Ouvimos muitas histórias por aí de pessoas que foram atacadas por esses animais, mas, infelizmente, os ataques ocorrem por conta da falta de conhecimento sobre o animal e a defesa do mesmo. Muito bom aprender, mesmo depois de grande. Obrigada ao site pelo conhecimento adquirido!
Aquele Mato
Ficamos imensamente felizes com seu comentário. Nosso principal objetivo é propagar o conhecimento e ajudar pessoas a conhecerem cada dia mais o ambiente que nos cerca.