Mato Grosso do Sul: a escolha do nome do Estado

Mato Grosso do Sul até hoje enfrenta a sina de ser confundido com o vizinho Mato Grosso.
A escolha do nome gera até hoje grito em coro “do Sul”, que já é um clichê para o sul-mato-grossense.

E a possibilidade de um novo nome para Mato Grosso do Sul foi cogitada por um tempo, pois a identidade do Estado não estaria bem representada por seu nome atual.

Nomes que passaram pela história de Mato Grosso do Sul

Alguns nome fizeram parte da história de Mato Grosso do Sul.

A partir da divisão de Mato Grosso, como o sul do estado concordou com os paulistas na Revolução Constitucionalista de 1932 – movimento que queria derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas -, por poucos meses, ficou conhecido como o Estado de Maracaju.

Tornando-se um novo estado federativo brasileiro, foi um momento que deu início à demonstração das pretensões separatistas com relação ao governo de Cuiabá (MT).

Porque dividiram Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Com a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, o governo federal resolveu fragmentar os territórios estratégicos de fronteira do Brasil para administrá-los diretamente.

Foram eles: Amapá, Rio Branco, Guaporé, Iguaçu, Fernando de Noronha e Ponta Porã.

Conforme o decreto-lei n.° 5 812, do governo Getúlio Vargas, em 1943, foi criado o Território de Ponta Porã, que agregava Ponta Porã, Porto Murtinho, Bela Vista, Dourados, Miranda, Nioaque e Maracaju.

Em 31 de maio de 1944, a capital foi transferida para Maracaju, por meio do decreto-lei n.° 6 550, mas voltou a ser Ponta Porã em 1946.

Com a proclamação da Constituição de 1946 – que foi um avanço da democracia e das liberdades individuais do cidadão -, o Território de Ponta Porã foi extinto e reagrupado a Mato Grosso.

A partir do golpe de 1964, os políticos divisionistas aproximaram-se dos militares e passaram a participar das comissões que estudavam as potencialidades políticas que impediam a divisão de Mato Grosso.

Em 1977, o então presidente Ernesto Geisel comunicou a decisão sobre o assunto.

E, conforme o primeiro projeto de lei, o novo estado se chamaria Campo Grande, seguindo o que acontecia em São Paulo.

Mas adotar Mato Grosso do Sul foi um pedido feito pelos deputados na época, que não queriam perder a condição de mato-grossense, mesmo que do Sul.

Estado de Mato Grosso é dividido

A divisão do estado de Mato Grosso ocorre com a aprovações do projeto pelo Congresso Nacional, em 11 de outubro de 1977, e o nome do estado foi enfim declarado como Mato Grosso do Sul, sendo Campo Grande a sua capital.

Em meados dos anos 2000, o então governador de Mato Grosso do Sul Zeca do PT propôs uma nova mudança no nome, ganhando força a ideia de chamá-lo de Estado do Pantanal.

Sua defesa era de que Mato Grosso do Sul ainda não tinha uma identidade cultural estabelecida e que seria bom que o nome remetesse à presença do Pantanal, já que possui a maior parte do bioma.

Mas a oposição foi muito forte e a proposta não prosperou.

Como é de se esperar, a divisão do estado de Mato Grosso possui os seus defensores e os seus críticos. Mas, para não restar dúvidas, quem nasce em Mato Grosso do Sul é… sul-mato-grossense!

E você, concorda com a mudança de nome de Mato Grosso do Sul?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *