Microrregiões formam o complexo do Pantanal

Mesmo sendo a maior planície alagável do mundo e estar localizado no centro da América do Sul, já descobrimos que o brasileiro nem o morador de Mato Grosso do Sul não conhece o Complexo do Pantanal, muito menos suas microrregiões.

E, pasmem, existem 11 pantanais!

O Complexo do Pantanal é um bioma formado principalmente por uma savana, alagada em sua maior parte, com 250 mil km² de extensão e altitude média de 100 metros.

O nome Complexo do Pantanal vem em razão de ter mais de um Pantanal dentro de si e por se dividir em duas regiões:

1 – Pantanal Sul ou Pantanal Maior (em Mato Grosso do Sul), por ter a maior área, com 65% do seu território; tem como principais cidades Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho;

2 – Pantanal Norte ou Pantanal Amazônico (em Mato Grosso), por se localizar na Amazônia Legal, abrangendo as cidades de Barão de Melgaço, Cáceres e Poconé.

Além de englobar o norte do Paraguai e o leste da Bolívia, em que é conhecido como chaco boliviano.

As 11 sub-regiões existentes no complexo do pantanal:

Pantanal de Cáceres

Limite com o Pantanal de Poconé. Tipicamente com vegetação de cerrado e campos, abrange ainda manchas de matas. Possui solos argilosos e arenosos e, na parte sul, predominam os campos inundáveis.


Pantanal de Poconé

Localiza-se entre os rios Paraguai e Cuiabá e sua vegetação possui grandes charcos, campos, savanas e florestas.
Nessa região está localizado o Maciço de Cuiabá-Cáceres, área voltada para a exploração de ouro.A Transpantaneira é a única via de acesso rodoviário a essa região.


Pantanal do Paraguai

O Pantanal do Paraguai está entre a Serra do Amolar e o Maciço do Urucum. Por lá, são vistos elementos da flora amazônica, como a vitória-régia e o cambará.
A Estrada Parque Pantanal, importante via turística, localiza-se nesta região.


Pantanal de Barão de Melgaço

Entre os rios Cuiabá e Itiquira, aqui predominam as savanas (cerrado e cerradão) sobre campos limpos e sujos. Os campos ocorrem sobre solos argilosos e arenosos, formando imensos retalhos na região.

Com área de 18 503 km², tem como vizinha a Chapada dos Guimarães.


Pantanal do Paiaguás

Uma das regiões que têm as cheias mais intensas, o Pantanal do Paiaguás está localizado entre os rios São Lourenço, Taquari e Itiquira.


Pantanal da Nhecolândia

Um dos maiores da área pantaneira, o Pantanal da Nhecolândia destaca-se por sua imensa diversidade. Situado dentro do município de Corumbá, com uma parte em Rio Verde de Mato Grosso, apresenta diversos tipos de lagos e solos essencialmente arenosos.


Pantanal de Aquidauana

Limite com o Pantanal da Nhecolândia, a cidade de Aquidauana, a Serra de Aquidauana e os pantanais de Abobral e Miranda.
O Pantanal de Aquidauana tem formação calcária e ajuda com imensa quantidade de carbonato de cálcio dissolvido nas águas, o que resulta em lagoas com moluscos de cascas bem sólidas.
Seus principais pontos de referência são as Serras de Piraputanga e Maracaju.


Pantanal de Miranda

Nos campos limpos de Miranda (MS), o Pantanal exibe excelentes espécies forrageiras e menos agradáveis na pastagens.
O Pantanal de Miranda se encontra nos limites do Pantanal de Abobral, da cidade de Porto Murtinho, do Pantanal de Aquidauana, da Serra de Bodoquena e do Pantanal de Nabileque.


Pantanal de Nabileque

Sob a jurisdição de Corumbá, o Pantanal de Nabileque pode ser considerado uma extensão do cacho paraguaio-boliviano.
O Pantanal de Nabileque está localizado entre a Serra da Bodoquena e o rio Paraguai, incluindo a bacia do rio Nabileque.
É um dos primeiros pantanais na fatalidade das inundações, em consequência do seu solo argiloso, de drenagem lenta e pouco permeável.


Pantanal de Porto Murtinho

No decorrer do rio Paraguai, está localizado o Pantanal de Porto Murtinho, tendo como limites os rios Aquidauana e Apa.
Essa área retrata o extremo meridional do Pantanal sul-mato-grossense, em que as inundações se prolongam por um período de quatro a seis meses, no período de supercheias que ameaçam o Pantanal.
O Pantanal de Porto Murtinho é tido como o que apresenta a maior área devastada em razão da pecuária.


Pantanal de Abobral

Fazendo limite com os pantanais da Nhecolândia, de Miranda, de Nabileque, de Aquidauana e com o rio Paraguai, o Pantanal de Abobral é um dos mais baixos e, por isso, o primeiro a encher com a chegada das chuvas, em em outubro.
Por lá são encontrados bosques avulsos e campos, dominados ora por capim-mimoso (Axonomus purpusii), ora por capim-mimoso-de-talo (Hermarthria altissima).

Todas essas microrregiões fazem parte do imenso Complexo do Pantanal.

Será que assim conseguimos ter noção do tamanho do nosso Pantanal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *