Quati: os anfitriões de Mato Grosso do Sul

Um animal que sempre aparece pelos passeios em parques de Campo Grande, o quati (Nasua nasua) é anfitrião mais que sociável de Mato Grosso do Sul.

Existem três espécies de quati: a Nasua narica (quati-de-nariz-branco), que ocorre desde os Estados Unidos até o Panamá; a Nasua nelsoni (quati-de-cozumel), que vive na Ilha de Cozumel, México; e a Nasua nasua (quati-de-cauda-anelada), que tem passagem pela América do Sul.

Quati pokemon

Os quatis são os carnívoros mais abundantes na maioria dos locais onde ocorrem.

No Parque do Prosa, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, foi encontrada uma densidade de 33,71 quatis/km² (Costa, 2003).

No Pantanal da Nhecolândia, foram encontradas densidades populacionais de 9,09+-5,00 (planícies inundáveis), 16,7+-2,94 (floresta) e 10,5 +-1,88 (cerrado) indivíduos/km2 (Desbiez et al. 2010).

Características do quati

De anatomia marcante, os quatis têm como características o nariz pontudo, as orelhas arredondadas, a cabeça triangular, os membros anteriores mais curtos que os posteriores e a cauda longa, com vários anéis escuros.

Quati selvagem

O quati que encontramos por aqui (Nasua nasua) tem pelagem densa e longa, variando entre alaranjada e marrom-escura. Ele alcança de 40 a 65 cm de comprimento quando adulto e 30,5 cm de altura, pesando até 10 kg.

Onívoros, os quatis são generalistas, alimentando-se principalmente de frutos e insetos, mas gostam de locais com grande abundância de alimentos de origem da ação humana, como lixeiras e comedouros.

Então, quando perto de áreas urbanas – como acontece em Mato Grosso do Sul -, quatis criam o hábito de vasculhar lixeiras e objetos humanos em busca de alimentos.

Em razão dos hábitos alimentares e da elevada abundância que os quatis apresentam nos locais onde ocupam, eles desenvolvem um importante papel nas dinâmicas ecológicas florestais.

Nos bandos dos quatis (Nasua nasua), encontram-se de cinco a dez indivíduos, porém, existem registros com mais de treze indivíduos no Pantanal e até de mais de vinte, na Argentina.

As fêmeas e os jovens andam em bandos, pois os machos adultos são expulsos por elas e só voltam em época de reprodução.

Filhote de quati

Depois do cio, a fêmea tem uma gestação de pouco mais de dois meses. Ao nascer, os filhotes ficam em um ninho dentro das árvores, característica bastante diferente em mamíferos.

Ao sentir ameaça, quati alerta o resto do bando

Os grupos de quatis possuem vigias, que patrulham a área em busca de predadores.

Os quatis se comunicam com sons suaves, lembrando lamúrias, mas ao identificar ameaças, o som é substituído por rugidos.

Para se manter seguro, o quati dorme no alto das árvores, em busca de proteção contra predadores, como raposas, cães e pessoas.

Nós precisamos nos conscientizar de não dar comida aos quatis e animais em geral. Pode parecer ser legal alimentar os quatis, mas assim os deixamos preguiçosos e pedintes.

Preservar a fauna é preservar o ambiente natural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *