Biodiversidade, a natureza viva

Um dos grandes atrativos ao título de Patrimônio Natural da Humanidade foi a biodiversidade que vive no bioma Pantanal.

Sem medo de exageros, podemos afirmar que essa imensa biodiversidade é uma das coisas que mais chamam a atenção na região pantaneira.

A transformação ecológica das cheias sazonais que acontecem no bioma Pantanal é um dos responsáveis por essa realidade.

Biodiversidade na região
By Munique BassoliOwn work, CC BY-SA 4.0, Link

Pois esse fato causa uma constante modificação dos habitats tanto terrestres quanto aquáticos.

Podemos observar que essa pluralidade da biodiversidade se dá por milhares de variedades de plantas, aves, mamíferos, anfíbios, répteis e peixes.

Além das espécies ameaçadas de extinção, como a onça-pintada.

Os biomas de Mato Grosso do Sul

Descrito com uma paisagem heterogênea, Mato Grosso do Sul possui biomas importantes para a preservação da flora e fauna nacionais.

São eles o Cerrado e a Mata Atlântica, além do Pantanal.

Como cada um desses biomas apresenta suas particularidades no Estado e, por si só, a presença deles já nos esclarece sobre a altíssima biodiversidade de Mato Grosso do Sul.

Nos três biomas, podemos encontrar diferentes tipos de florestas e diversos ambientes – mais alagados ou mais rochosos, por exemplo.

Assim, ao olharmos para os limites territoriais de Mato Grosso do Sul, somos capazes de ter uma noção da grande rede de organismos que vivem em nossos rios, morros, lagos e florestas.

A biodiversidade no dia a dia

Não é necessário estar dentro do bioma Pantanal, do Cerrado ou da Mata Atlântica para observar a biodiversidade que nos rodeia.

Biodiversidade na região
By Munique BassoliOwn work, CC BY-SA 4.0, Link

No nosso cotidiano, existe um conjunto de formas acontecendo espontaneamente nos nossos quintais, jardins, hortas e praças.

É bom viver em um lugar onde podemos nos fascinar com a biodiversidade encontrada nos pequenos momentos do dia, né?

Mas é importante preservar!

Entre os biomas representados em Mato Grosso do Sul, o Cerrado era o maior – originalmente cobria mais de 60% do território do Estado -, mas hoje possui menos de 25% de fisionomias originais.

Por isso, hoje paramos para refletir sobre como nosso modo de vida é responsável pela preservação ou pelo desaparecimento de tantas espécies animais e vegetais.

Observamos tanto políticos e empresas poluídoras, mas esquecemos de olhar para o nosso dia a dia.

Será que utilizamos a água de forma consciente e jogamos o lixo no lixo, separando o lixo reciclável do lixo orgânico?

Será que procuramos comprar produtos de empresas que se preocupam com o meio ambiente ou que tenham certificação ecológica?

Será que buscamos saber o que um candidato político pretende fazer pelo meio ambiente antes de votarmos nele?

Será que ajudamos alguma instituição que luta pela preservação do meio ambiente?


Se cada um fizer a sua parte, a natureza agradece!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *