Colhereiro: patrimônio do bioma Pantanal

Bastante numeroso no Pantanal, o colhereiro (Platalea ajaja) é uma ave pernalta, rosada e com bico em forma de colher, razão do seu nome comum, orgulho de ser nosso patrimônio.

Fácil de encontrar em brejos e à beira da água, vive em bandos pequenos e com outras aves.

Também conhecido como ajajá e colhereiro-americano, ele mede cerca de 80 a 90 centímetros de comprimento, em cuja extremidade do bico comprido possui uma “colher”.

Colhereiro são sociáveis também com outras aves

O colhereiro é da família Threskiornithidae e uma ave sociável, que procura companhia também em aves de outras classes.

colhereiro

De inconfundível identificação, quando jovem, o colhereiro possui uma plumagem rosa-claro que vai mudando até atingir 5 anos, momento em que vai perdendo as penas e adquirindo as características adultas.

Conforme a idade e a época de reprodução, as características do colhereiro mudam.

Adultos,  apresentam uma poupa de penas amarelo-pálido, uma mancha alaranjada na base do bico e uma banda alaranjada em volta do peito.

Sua principal particularidade, o bico fica reto, largo e achatado, terminando em uma ponta arredondada e mais larga, na fase adulta.

O bico do colhereiro possui uma série de terminações nervosas na ponta, as quais permitem detectar os movimentos de suas presas na água.

colhereiro voando

Para se alimentar, o colhereiro peneira a água, sacudindo e mergulhando o bico à procura de comida, como peixes, insetos, camarões, moluscos e crustáceos.

A partir da sua dieta de crustáceos, essa ave adquire a sua coloração por meio dos pigmentos encontrados em suas presas, como os crustáceos.

Quando em cativeiro, caso não tenha uma dieta capaz de fornecer os pigmentos, os colhereiros acabam ficando rosa muito claro ou mesmo esbranquiçados.

Assim entendemos que a natureza é a garantia da beleza do animal.

Ao voar, ele permanece com a cabeça um pouco mais alta do que o pescoço, para deixar o bico direcionado para a frente.

O período reprodutivo do colhereiro ocorre de julho a outubro, portanto essa a melhor época para visualizar os voos destes pássaros em conjunto com outras aves.

Em novembro, com a chegada das cheias no Pantanal, as condições de alimentação diminuem, e ele reduz sua presença ou some da planície pantaneira.

colhereiro voando

Apesar dele não estar em perigo de extinção, ele é muito visado pelos traficantes em razão de sua beleza e plumagem, tornando-o vergonhosamente ameaçado no Pantanal.

Por ser uma ave muito sensível e não resistente à poluição ambiental, o colhereiro é um excelente indicador de boa qualidade do meio ambiente, principalmente da água.

Como sempre, é hora de cuidar das nossas águas e áreas naturais para não perdermos este patrimônio de asas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *