Vegetação do Cerrado e a floresta invertida

Segunda maior formação vegetal brasileira, superado apenas pela Floresta Amazônica, a vegetação do Cerrado é considerada uma floresta invertida.

Consistindo em árvores bem peculiares, pequenas, com raízes bastante profundas, a vegetação do Cerrado funciona como uma esponja que absorve e distribui água nas regiões que ocupa.

Água esta que preenche os aquíferos e contribui para a produção de alimentos em todo Brasil.

Algumas árvores presentes no bioma Cerrado são o buriti, pequi, jatobá e baru – que ainda garantem uma dieta rica para os habitantes da região.



Pois, a fim de sobreviver às longas secas que ocorrem na região, muitas dessas árvores da vegetação do Cerrado desenvolveram sistemas de raízes extremamente profundas e ramificadas.

Como 70% de sua biomassa está dentro da terra, fica inviável a sua revitalização.

A vegetação do Cerrado é nossa savana tropical

A vegetação do Cerrado é constituída principalmente por savanas e define-se por suas diversas paisagens, formadas por uma alta biodiversidade e riqueza florística.

O Cerrado engloba desde árvores altas, com densidade maior e composição distinta, até árvores baixas e esparsas.

As formações savânicas que podem ser encontradas no bioma do Cerrado são Cerrado Sensu Stricto, Veredas, Parque de Cerrado e Palmeiral.

O Cerrado caracteriza-se ainda pela existência de gramíneas, arbustos e árvores esparsas e retorcidas de caules tortuosos, folhas coriáceas, e longas raízes para retirar água e nutrientes do solo em profundidades maiores.

Estima-se que a flora da região possua 10 mil espécies de plantas diferentes (muitas usadas na produção de cortiça, fibras, óleos, artesanato, além do uso medicinal e alimentício).

Com tantos tipos de árvores e arbustos, o Cerrado possui as seguintes formações florestais:

1 – Mata Seca

vegetação do Cerrado

As Matas Secas são florestas fechadas, sem associação com cursos d’água, que exibem vários níveis de caducifolia (folhas que caducam, ou seja, folhas que caem).

Elas dependem essencialmente da ocorrência de manchas de solos mesotróficos (fertilidade média) profundos dentro do domínio do Cerrado.

Conforme o nível de queda das folhas, as Matas Secas podem ser classificadas em sempre-verde (sem caducifolia), semidecídua (caducifólia mediana) e decídua (alta caducifolia).

2 – Mata de Galeria e Mata Ciliar

vegetação do Cerrado
Foto: Felipe Ribeiro

As Matas de Galeria e as Matas Ciliares são formações florestais que acontecem próximas de rios e córregos, diferenciando-se floristicamente e fisionomicamente.

As Matas de Galeria ocorrem em cursos d’água mais estreitos, enquanto nas Matas Ciliares, esse fechamento não ocorre.

As espécies vegetais dessas matas são dependentes de alta umidade no solo, à medida que as Matas de Galeria não perdem folhas, as Matas Ciliares ainda apresentam diversos níveis de caducifólia na estação seca e são classificadas como inundável e não inundável.

3 – Cerradão

vegetação do Cerrado - cerradão

O Cerradão é uma formação arbórea média-alta, com copa variando de fechada a semiaberta (de 50% a 90% de cobertura).

Ocorrendo geralmente em solos profundos, o Cerradão é drenado e ligeiramente ácido.

Quando ocorre em solos com baixa fertilidade, ele é classificado como Cerradão Distrófico e quando em solos mais ricos (fertilidade média), como Cerradão Mesotrófico, cada um possuindo espécies características e adaptadas a esses ambientes.

Desmatamento e o estado de conservação do Cerrado

Originalmente, o bioma Cerrado ocupava cerca de 23% do território brasileiro.

Mas, em consequência do avanço da agricultura em larga escala, principalmente de soja, o Cerrado está diminuindo.

Incêndios, naturais ou causados pelo homem, também são problemas comuns no Cerrado, assim como o crescimento da pecuária de corte também colabora para a diminuição do bioma.

Conforme dados de 2010, 49,1% da vegetação do Cerrado nativa já havia sido desmatada e cerca de 20% das espécies de plantas já foram extintas.

Dos 2.038.953 km² da área original do Cerrado, apenas 1.038.605 km² (50,9%) encontra-se preservada.

Alguns ambientalistas dizem que a vegetação do Cerrado diminuiu para a metade nos últimos 50 anos.

Um inventário completo sobre as plantas e o solo da região de Cerrado – que cobre 61% do território sul-mato-grossense – vem sendo feito, com previsão de término da coleta de dados neste mês de outubro.

O objetivo é produzir informações sobre nossos recursos florestais, para fundamentar a formulação, implementação e execução de políticas públicas de desenvolvimento, uso e conservação desses recursos.

Ação importante, pois, se a gente não conservar o Cerrado, uma espécie se torna ameaçada de extinção: a nossa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *