Skip to content

Olá, Mateiro!

Hoje vamos relembrar alguns desastres naturais que impactaram a rotina e o futuro de muitos moradores de Mato Grosso do Sul.

Pois desde a água até o fogo, os desastres naturais têm aumentado de forma significativa em todo o mundo.

E por aqui não é diferente. 

Então, vamos ver 5 vezes que a natureza se revoltou em MS.

Enchente em Corguinho

Os moradores da comunidade quilombola Furnas da Boa Sorte presenciaram a maior enchente das últimas décadas, em fevereiro de 2021, em Corguinho, a 100 km de Campo Grande.

Segundo os cidadãos, a cidade ficou alagada em menos de 1h de chuva intensa.

Assim, a enchente alagou casas e carros e ainda danificou 6 pontes que dão acesso às comunidades, com prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

De fato, as pessoas ainda ficaram sem ter como sair da cidade.

Durante essas fortes chuvas, uma supercélula foi registrada na região.

supercelula - Aquele Mato
“Supercélula” registrada em Corguinho (MS) — Foto: Defesa Civil MS/Divulgação

Ou seja, um tipo de tempestade caracterizada pela presença de uma corrente de ar girando no interior da nuvem.

Como resultado, pode acontecer ventos fortes, chuva intensa com granizo, mais enchentes e descargas elétricas.

Apesar dessas tragédias, Mato Grosso do Sul já estava se destacando, com mais de 365 ocorrências de desastres naturais, em 2017.

Entre eles, lembramos das inundações de Aquidauana, Anastácio, Bonito, Jardim, Miranda e Bela Vista.

Além das cheias do rio Paraguai e os vendavais em Bandeirantes e Caarapó.

Infestação de grilos em Campo Grande

Abril de 2021 está fresco na memória dos campo-grandenses que se espantaram com a infestação de grilo na cidade.

Assim, a cantoria tirou a paciência e o sono de bastante gente.

Conforme biólogos, a invasão indica desequilíbrio ambiental, resultado da diminuição de áreas verdes na região.

Tempestade de areia

Sem dúvida, Campo Grande poderia ser facilmente cenário de filme de fim de mundo, na tarde de 15 de outubro de 2021, dia da tempestade de areia que ocorreu na cidade.

Conforme a MetSul, a cidade estava com 33º e foi para 18º depois da ventania, que deixou estragos.

Em primeiro lugar, veio o vento forte, que cobriu o sol e deixou a Cidade Morena em tom avermelhado.

aquelemato.org – Tempestade de Areia em Campo Grande – MS 2021

Depois a chuva forte!

Assim, a empresa de meteorologia ainda registrou rajadas de 94,5 quilômetros por hora na região do aeroporto, que reportou visibilidade de apenas 800m.

Por fim, restaram árvores caídas, alagamentos, acidentes e explosões de cabos de energia.

É possível afirmar que as tempestades de poeira acontecem por um longo período seco, temperaturas elevadas e baixa cobertura vegetal.

Inclusive, esse tipo de tempestade é conhecida mundialmente como haboob e é visto com frequência em países como China, Mongólia e Austrália.

Queda de raios perto de Três Lagoas

Antes de mais nada, nacionalmente o Brasil já é um país recordista mundial de descargas elétricas, com quase 80 milhões por ano.

Desses, 300 atingem pessoas, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Assim, esse estudo revela que a maior parte das vítimas são homens e que os casos geralmente acontecem com pessoas na zona rural.

Nesse sentido, os raios podem atingir os animais tanto quanto as pessoas.

E o ano de 2015 é o que ficou para a história, com um raio que atingiu 68 cabeças de gado, numa fazenda no distrito de Arapuá, perto de Três Lagoas.

Dessa forma, a carne desses animais ficaram impróprias para consumo.

Por isso, a recomendação é enterrar os animais.

Incêndios no Pantanal

Não é novidade que o incêndio que aconteceu no Pantanal, em 2020, é o maior da história do bioma, que ainda se recupera da tragédia.

Mas ainda batemos mais recordes.

incendio Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema - Aquele Mato

Desta vez, na cidade de Corumbá, que registrou o maior número de queimadas do país, nos primeiros dias de setembro de 2021, com 444 focos de incêndio.

Assim, a natureza ia sendo destruída e os ribeirinhos acabavam perdendo suas casas.

Segundo a prefeitura, ainda houve aumento na quantidade de atendimento por problemas respiratórios.

Pois a área urbana da cidade não saiu impune, com fumaça e fuligem para todo lado.

Por fim, é importante lembrar que a atividade humana é um dos fatores responsáveis por desastres naturais.

Pois muda o meio ambiente, resultando em inúmeros problemas pra a natureza e pra gente mesmo.

Certamente, você lembra de mais acontecimentos relacionados à natureza se revoltando com a gente, né?

Deixe nos comentários.

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

5x que a natureza se revoltou em MS

Olá, Mateiro!

Hoje vamos relembrar alguns desastres naturais que impactaram a rotina e o futuro de muitos moradores de Mato Grosso do Sul.

Pois desde a água até o fogo, os desastres naturais têm aumentado de forma significativa em todo o mundo.

E por aqui não é diferente. 

Então, vamos ver 5 vezes que a natureza se revoltou em MS.

Enchente em Corguinho

Os moradores da comunidade quilombola Furnas da Boa Sorte presenciaram a maior enchente das últimas décadas, em fevereiro de 2021, em Corguinho, a 100 km de Campo Grande.

Segundo os cidadãos, a cidade ficou alagada em menos de 1h de chuva intensa.

Assim, a enchente alagou casas e carros e ainda danificou 6 pontes que dão acesso às comunidades, com prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

De fato, as pessoas ainda ficaram sem ter como sair da cidade.

Durante essas fortes chuvas, uma supercélula foi registrada na região.

supercelula - Aquele Mato
“Supercélula” registrada em Corguinho (MS) — Foto: Defesa Civil MS/Divulgação

Ou seja, um tipo de tempestade caracterizada pela presença de uma corrente de ar girando no interior da nuvem.

Como resultado, pode acontecer ventos fortes, chuva intensa com granizo, mais enchentes e descargas elétricas.

Apesar dessas tragédias, Mato Grosso do Sul já estava se destacando, com mais de 365 ocorrências de desastres naturais, em 2017.

Entre eles, lembramos das inundações de Aquidauana, Anastácio, Bonito, Jardim, Miranda e Bela Vista.

Além das cheias do rio Paraguai e os vendavais em Bandeirantes e Caarapó.

Infestação de grilos em Campo Grande

Abril de 2021 está fresco na memória dos campo-grandenses que se espantaram com a infestação de grilo na cidade.

Assim, a cantoria tirou a paciência e o sono de bastante gente.

Conforme biólogos, a invasão indica desequilíbrio ambiental, resultado da diminuição de áreas verdes na região.

Tempestade de areia

Sem dúvida, Campo Grande poderia ser facilmente cenário de filme de fim de mundo, na tarde de 15 de outubro de 2021, dia da tempestade de areia que ocorreu na cidade.

Conforme a MetSul, a cidade estava com 33º e foi para 18º depois da ventania, que deixou estragos.

Em primeiro lugar, veio o vento forte, que cobriu o sol e deixou a Cidade Morena em tom avermelhado.

aquelemato.org – Tempestade de Areia em Campo Grande – MS 2021

Depois a chuva forte!

Assim, a empresa de meteorologia ainda registrou rajadas de 94,5 quilômetros por hora na região do aeroporto, que reportou visibilidade de apenas 800m.

Por fim, restaram árvores caídas, alagamentos, acidentes e explosões de cabos de energia.

É possível afirmar que as tempestades de poeira acontecem por um longo período seco, temperaturas elevadas e baixa cobertura vegetal.

Inclusive, esse tipo de tempestade é conhecida mundialmente como haboob e é visto com frequência em países como China, Mongólia e Austrália.

Queda de raios perto de Três Lagoas

Antes de mais nada, nacionalmente o Brasil já é um país recordista mundial de descargas elétricas, com quase 80 milhões por ano.

Desses, 300 atingem pessoas, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Assim, esse estudo revela que a maior parte das vítimas são homens e que os casos geralmente acontecem com pessoas na zona rural.

Nesse sentido, os raios podem atingir os animais tanto quanto as pessoas.

E o ano de 2015 é o que ficou para a história, com um raio que atingiu 68 cabeças de gado, numa fazenda no distrito de Arapuá, perto de Três Lagoas.

Dessa forma, a carne desses animais ficaram impróprias para consumo.

Por isso, a recomendação é enterrar os animais.

Incêndios no Pantanal

Não é novidade que o incêndio que aconteceu no Pantanal, em 2020, é o maior da história do bioma, que ainda se recupera da tragédia.

Mas ainda batemos mais recordes.

incendio Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema - Aquele Mato

Desta vez, na cidade de Corumbá, que registrou o maior número de queimadas do país, nos primeiros dias de setembro de 2021, com 444 focos de incêndio.

Assim, a natureza ia sendo destruída e os ribeirinhos acabavam perdendo suas casas.

Segundo a prefeitura, ainda houve aumento na quantidade de atendimento por problemas respiratórios.

Pois a área urbana da cidade não saiu impune, com fumaça e fuligem para todo lado.

Por fim, é importante lembrar que a atividade humana é um dos fatores responsáveis por desastres naturais.

Pois muda o meio ambiente, resultando em inúmeros problemas pra a natureza e pra gente mesmo.

Certamente, você lembra de mais acontecimentos relacionados à natureza se revoltando com a gente, né?

Deixe nos comentários.

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Artigos relacionados

O Complexo do PANTANAL Aves de rapina vistas em MS Benefícios da erva-mate de tereré GAMBIARRAS PARA TEMPO SECO A culinária de Mato Grosso do Sul