Skip to content
Erva

A origem do tereré em Mato Grosso do Sul

A origem do nosso amado tereré começa em Mato Grosso do Sul, com a sua chegada pela cidade de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai.

Pois é, Mateiros, os índios guaranis que já viviam ali usavam a erva-mate para diferentes bebidas.

Inclusive, por ser uma região bastante quente, era comum combinar a erva com água gelada.

Mas existem versões distintas para a história da origem do tereré.

A Origem do tereré. Chegada do tereré em Mato Grosso do Sul
Foto divulgação FCMS-Federação da cultura de Mato Grosso do Sul, publicada na revista Cultura MS – Nº 03. Típico fazendeiro ervateiro do início do século XIX da região de fronteira bebendo tereré ao lado de “pé de erva”. Tereré de Ponta Porã registrado com patrimônio imaterial em 2010. Fonte: http://www.overmundo.com.br/overblog/sabedoria-documentada.

Tereré: a origem

A princípio, existem várias hipóteses que buscam explicar a origem do bebida.

Segundo pesquisadores, a origem do tereré se deu com a colonização europeia, por espanhóis e portugueses, inventado pelas tribos guarani, nhandeva, kaiowá e outra etnias chaquenhas, na região que hoje compreende Mato Grosso do Sul, Paraguai e Argentina.

Muito antes da Guerra do Paraguai (1864 a 1870)

Mas uma das lendas sobre a história do tereré diz que, na Guerra do Paraguai, os soldados de ambos os lados já gostavam de tomar um chimarrão (típico do Rio Grande do Sul) em momentos de folga do combate.

E, como esse intervalo era muito curto, não havia tempo de esquentar a água e acabavam tomando a bebida fria mesmo.

Do mesmo modo, ainda existem outras histórias sobre a origem do tereré.

Versões da história

Diferentemente da história anterior, nessa versão, as tropas começaram a beber mate frio na Guerra do Chaco (entre Bolívia e Paraguai 1932 – 1935).

Isso porque não eles queriam acender fogos.

Pois seria como anunciar a posição em que estavam.

Uma terceira versão sobre a origem do tereré está relacionada aos mensú.

Ou seja, os escravos ervateiros do nordeste do Paraguai e da Argentina, até meados do século 20.

cuia de tereré

Em síntese, a lenda diz que eles tomavam o mate frio, para não serem torturados pelos capangas se fossem pegos fazendo fogo.

Dessa forma, foi introduzido o costume no exército paraguaio, quando lá tiveram que servir, durante a guerra.

Por fim, uma última hipótese seria a de que os indígenas utilizavam a erva para filtrar a água, ao levarem o gado em comitivas, evitando a esquistossomose (infecção adquirida quando as pessoas entram em contato com água doce contaminada).

O que sabemos de fato: o tereré tem uma história muito rica.

Assim, ele completa a cultura da região de fronteira do Paraguai, da Argentina e do Brasil.

Qual é a diferença entre tereré e chimarrão?

Eventualmente, temos que explicar a diferença entre o tereré e o chimarrão.

Tendo em vista que ainda é comum a confusão.

Bem, a erva-mate em si é um chá de ervas feito a partir das folhas e galhos da Ilex paraguariensis, planta originária da região subtropical da América do Sul.

Por aqui, ela é consumida como chá mate, tereré ou chimarrão.

Primeiramente para diferenciar, nada de falar que o tereré é apenas um mate gelado.

Além da água fria, a diferença principal entre o tereré e o chimarrão é a própria erva-mate.

Pois a erva feita para o tereré é mais grossa, por ser triturada, e tem a cor mais amarelada, sendo um padrão argentino.

Por outro lado, a erva para chimarrão é moída e apresenta coloração de um verde vivo.

Como fazer tereré

Agora que você já reconhece a erva-mate certa, bora aprender como fazer tereré.

Para começar a preparar um bom tereré, é preciso uma guampa e uma bomba para filtrar a infusão.

Bom, a guampa é o recipiente tradicional para servir o tereré.

Mas pode ser usada uma cuia ou qualquer copo de sua preferência, sem problemas.

Inclusive, hoje em dia, as empresas especializadas em ervas já oferecem copos diferentes e personalizados, conforme seu gosto.

Com tudo em mãos, o tereré tradicional é preparado simplesmente com erva-mate e água gelada.

Assim, para preparar o tereré, coloque a erva de sua preferência na guampa, deite a guampa e deixe a erva em apenas um lado do recipiente.

Nesse momento, uma dica é pressionar a erva com a bomba.

Dessa forma, fica mais firme.

Com a guampa ainda inclinada, molhe um pouco erva.

Nesse momento, ela vai “inchar” um pouco.

Por fim, é só completar com mais água gelada e tomar.

A origem do tereré em Mato Grosso do Sul - Aquele Mato
Aprenda como fazer tereré

Outras maneiras de tomar tereré

Bom, colocar água gelada é para os fãs do jeito tradicional do tereré.

Porém, alguns fãs da bebida preferem ousar nas combinações.

Ou seja, adicionam água com limão, hortelã, sucos e até refrigerantes.

Os mais excêntricos ainda optam por sabores diversos da própria erva.

Isso porque as marcas de erva-mate atualmente já garantem sabores diferentes, como uva com menta, abacaxi com hortelã, tutti-frutti e laranja com acerola.

Seja qual for seu tipo, o nosso companheiro ainda traz grande benefícios aos seus adeptos.

Ou seja, um hábito da nossa rotina que ainda faz bem pra gente?!

Mas então, tereré é bom pra quê?

Tereré faz bem?

De fato, um bom tereré refresca e ainda faz bem para a saúde.

Isso mesmo, a erva-mate possui nutrientes importantes pra gente.

Uma vez que sua composição tem a presença de cafeína, sais minerais, vitaminas AB1B2C e Elipídeos e proteínas, o consumo de produtos à base de erva-mate traz várias vantagens.

Pra começar, aquela vontade grande de ir ao banheiro sempre que consumimos tereré é porque a erva é diurética e ainda facilita na digestão.

Dessa forma, ela contribui para o equilíbrio metabólico e atua contra os radicais livres.

Além de atuar na eliminação da fadiga e no favorecimento do trabalho intelectual, por exemplo.

Visto que a lista de benefícios é grande, ela inclui o aumento do gasto energético, a sensação de bem-estar, o estímulo à circulação e à memória e mais um monte de coisas que você pode ler aqui.

Apesar de todos os benefícios, é importante salientar que o tereré também traz possíveis malefícios.

Principalmente para quem consome a erva em excesso.

Pois existem efeitos colaterais se você fizer um uso sem moderação.

Em contraste com os benefícios, o exagero de tereré pode causar dor de estômago, ansiedade, insônia e taquicardia.

Por causa da cafeína presente na planta, o consumo deve ser evitado na gravidez.

Entretanto, só estamos começando.

Já que o uso da erva-mate também está na indústria do alimento e da beleza.

Então, prepare-se porque o cardápio de usos da erva-mate é longo.

Uso da erva de tereré na cozinha e nos cosméticos

Bom, tem quem não goste do primeiro gole de tereré, pelo forte sabor.

Dessa forma, é comum buscarem o que misturar com o tereré, para aliviar esse gosto.

Mas alguns vão pelo caminho contrário, preparando alguns pratos com esse ingrediente diferente.

Com certeza, é algo incrível.

Tendo em vista que dá para fazer receitas nutritivas e deliciosas com esse superalimento, que é versátil e saudável.

Assim, a erva-mate é ingrediente para pratos doces e salgados, sendo principal parte de receitas inovadoras.

Afinal, você já conhece a trufa de tereré ou viu a farofa com tereré no acompanhamento de algum prato?

Enfim, são muitas as variedades de comida, entre pudins, sorvetes, bolo, brigadeiro, pão de queijo e por aí vai.

Inclusive, nós já buscamos receitas com tereré pra você aqui.

Do mesmo modo, ela ainda é peça importante no mercado de cosméticos.

Produtos naturais podem se beneficiar do tereré

Entre as demandas deste setor existe a busca por produtos naturais.

Pois muitas plantas e flores possuem excelentes nutrientes em sua composição.

Nesse contexto, pesquisas da área indicam que a aplicação de cosméticos à base de erva-mate pode ser muito bom.

Além de apresentar uma grande diversidade de opções de mercadorias, cada um deles age em um tipo de tratamento.

Assim, o seu uso é recomendado para cicatrização, limpeza profunda de pele, combate ao envelhecimento precoce de pele e cabelos, tratamento de celulites e fotoprotetor natural, por exemplo.

Em outras palavras, ela é boa para ser usada em produtos como xampus, condicionadores, sabonetes, colônias, esfoliantes e demais itens nessa linha.

Isso porque a erva-mate é rica em componentes com propriedades energizantes e refrescantes.

Certamente, se esse assunto te interessa, vai adorar ler mais sobre o tereré como aliado da beleza.

Pra finalizar, com tantos benefícios, você ainda pode fazer adubo com erva-mate.

Afinal, ela é um excelente fertilizante para todo o jardim.

Então, quando a erva já estiver “lavada”, ela ainda pode ser usada, como adubo.

Venha com a gente e veja como usar a erva nas suas plantinhas aqui!

Tereré é rotina que faz parte da cultura de MS

Assim, da rodinha de amigos regada a tereré até o uso em produtos cosméticos, a erva-mate faz parte da cultura de Mato Grosso do Sul que está se estendendo ao resto do País.

Inclusive, em 2020 ele foi eleito Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Isso se deu por meio de um pedido feito pelo Ministério da Cultura do Paraguai, em 2019.

Assim, essa é uma conquista histórica, pois inclui a cultura do consumo entre as nossas práticas tradicionais.

Além disso, ainda ressalta a importância das pessoas que estão envolvidas na sua produção, comercialização e transmissão para cada geração.

Bom, a gente sabe que o sul-mato-grossense não dispensa um tereré.

Principalmente pelo seu poder de aproximar as pessoas, né?

Bora marcar um qualquer dia!

E, enfim, deixamos o convite para você também incluir a erva de tereré na sua rotina por meio das utilidades dela.

A gente se vê. Tchaau!