fbpx

A notícia da aprovação do projeto de lei que prevê a retirada gradual do plástico descartável no Brasil nos animou! o/

A proposta é de que o plástico deverá ser substituído por materiais biodegradáveis e, em dez anos, não haverá mais pratos, copos, bandejas ou talheres descartáveis.

Conforme o projeto, o plástico deverá ser substituído em 20% dos utensílios no prazo de dois anos após a eventual vigência da lei. A exigência aumentará para 50% após 4 anos; para 60%, após 6 anos; e para 80%, após 8 anos. E, finalmente, plástico deverá ser totalmente banido em uma década.

Já que o destino final do plástico descartado, que costuma ir para rios, mares e oceanos, a autora do projeto, Rose de Freitas (PMDB-ES), afirma que a ação é para evitar que o plástico comprometa a vida marinha e o equilíbrio ecológico.

Alguns estudos preveem que, até 2050, existirá mais plástico nos oceanos do que peixes e, amostras de água tratada, em diversos países do mundo, demonstram a contaminação por microplásticos.


Ou seja, os sistemas convencionais não são eficazes em retirar resíduos de plástico e que, portanto, estamos ingerindo plástico diariamente, sem saber as consequências disto para a saúde humana.

Sabendo que o plástico demora centenas de anos para se decompor na natureza, o impacto disso na natureza é enorme, por isso, a importância de leis que incentivem as pessoas a transformarem seu modo de consumo e que estabeleçam como esta prática será implementada de acordo com cada país.

Países que baniram ou taxaram o uso de sacolas plásticas

No início de 2018, a Coca-Cola anunciou que pretende reciclar 100% das suas embalagens, dando um importante passo rumo a um impacto ambiental menor em sua produção. Iniciativas como essas nos ensinam que existem diversas alternativas mais sustentáveis do que o plástico.


Países, como Inglaterra, França e Costa Rica, já proibiram o plástico descartável e, agora, ficamos torcendo para que o Brasil seja o próximo!

|

Oriente-se, Sem classificação

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: