Categorias
Animais Silvestres

Nossa pequena ave, o meia-lua-do-cerrado

Também conhecido como Tapaculo-de-colarinho (Melanopareia torquata), o meia-lua é uma ave Passeriformes da família Melanopareiidae.

Uma das estrela do cerrado, o meia-lua-do-cerrado é uma ave de difícil visualização.

Mesmo ficando a maior parte do tempo muito perto do solo, sempre podemos ouvi-lo cantar.

Tradicionalmente, o meia-lua-do-cerrado é encontrado nos cerrados dos estados do Pará, Piauí, Goiás, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e, claro, Mato Grosso do Sul.

Também conhecido como Tapaculo-de-colarinho (Melanopareia torquata), o meia-lua-do-cerrado é uma ave Passeriformes da família Melanopareiidae.

Seu nome vem do grego e significa melas, melanus = preto; e parëion = bochecha; etorquata, torquatus, torques = com colarinho, com colar, colar.

Ou seja: pássaro com colar e bochecha preta.

Características do meia-lua-do-cerrado

O meia-lua-do-cerrado possui características bem peculiares, medindo cerca de 14 cm de comprimento e tem 15,8 g de peso.

Ele pode ser facilmente identificado pelo colar negro que atravessa a região da garganta e emenda com uma máscara preta e branca nos olhos.

Na parte inferior, o meia-lua-do-cerrado é branco-amarelado, com as costas ferrugíneas, sendo inconfundível na natureza, onde se encontra quase sempre sozinho ou em casal.

Photo credit: Mauricio Mercadante on Visualhunt / CC BY-NC-SA

Inquieto e difícil de fotografar, o meia-lua-do-cerrado se mantém escondido entre moitas e capinzais. mas responde naturalmente ao chamado e aparece para quem pretende observá-lo.

Por isso, ele está sempre na lista dos praticantes de birdwatching (observação de pássaros).

O meia-lua-do-cerrado alimenta-se principalmente de pequenos insetos e os busca diretamente no solo.

É no solo também que o meia-lua faz seu ninho, fechado e globular, colocando dois ovos, incubados de 15 a 18 dias.

Atualmente, o meia-lua está na categoria “em perigo”, na lista dos animais ameaçados de extinção no estado de São Paulo.

Por aqui, vamos cuidar para que isso não aconteça!


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *