O Pantanal de Mato Grosso do Sul reserva a descoberta de uma pequena e transparente espécie, o camarão de água doce.

Bora conhecer o camarão do Pantanal?!

Rios de Mato Grosso do Sul tem camarão

O pequeno, transparente e agitado camarão do Pantanal quase desaparece em meio à água dos rios de Mato Grosso do Sul.

Os camarões de água doce escondem mistérios que começam a ser desvendados pelos pesquisadores aos poucos.

O morador dos rios pantaneiros de Mato Grosso do Sul foi registrado cientificamente como Macrobrachium pantanalense, espécie descoberta em 2013 pela pesquisadora Lilian Hayd, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems).

Até pouco tempo, ele era classificado como sendo da mesma espécie do que é encontrado na Amazônia, conhecido como Macrobrachium amazonicum.

Diferentemente da espécie da Amazônia, que se desenvolve em água com determinado índice de sal (10 ppt), o camarão do Pantanal se desenvolve em água completamente doce.

A diferença também esta no tamanho.

Enquanto o camarão da Amazônia chega a 16 cm e põe até três mil ovos, o pantaneiro é menor, alcançando no máximo 6 cm (macho), e 8 cm (fêmea), que tem até 400 ovos.


A espécie apresenta diferentes formas, cores e tamanhos que chamam a atenção.

Sua principal característica é ser totalmente transparente, possibilitando ver todas as estruturas dele.

Essa transparência faz com que ele apresente cores diferentes, dependendo do tipo de alimentação, que deixa o tubo digestório em tons diversos.

Contudo, isto interfere apenas na coloração do tubo digestório e não do corpo.

Camarão do Pantanal é parâmetro de qualidade da água

Uma característica importante sobre o camarão de água doce no Pantanal é que ele é um excelente parâmetro de qualidade da água.

O camarão do Pantanal prefere viver em águas limpas.

Então, se existe camarão em grandes quantidades em lagos, corichos e bacias do Pantanal, é indicação de que aquele ambiente ainda está num limite tolerável e aceitável para espécies aquáticas.

Assim, ele é usado como bioindicador de qualidade ambiental, porque só fica em águas que tenham boas condições de uso.

Um bom sinal é que o camarão de água doce já foi identificado no Pantanal da Nhecolândia, de Aquidauana, do Rio Miranda e do Rio Negro.

Eles ficam, geralmente, às margens das lagoas, debaixo das plantas aquáticas, onde a temperatura é um pouco maior.

Por ser bem pequeno, o camarão é indicado como isca viva, para a aquicultura ornamental (criação em aquários) e alimentação de peixes na piscicultura.

Porém, em algumas fazendas pantaneiras, o pequeno crustáceo acaba indo para panela.

Quando os pescadores batem peneira para pegar iscas, os camarões acabam acabam sendo coletados, especialmente no Pantanal do Negro, o que os torna ingrediente na farofa.


Por ser de água doce, o camarão do Pantanal não é enjoativo e pega ervas e temperos de uma forma muito fácil, tornando o preparo fácil e prático.

Pronto pra provar?! 😀

|

Animais Silvestres, Bioma Pantanal / Cerrado

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: