Skip to content

Como fazer uma guampa de tereré?

Já está com a guampa de tereré à mão, Mateiro?

Então, vamos começar!

O tereré é a bebida preferida do sul-mato-grossense.

Pois é fácil de preparar e todos sabem os ingredientes na ponta da língua: gelo, erva, bomba e..copo? Cuia? Guampa?

Todas as alternativas anteriores estão corretas!

Mas, tradicionalmente, o recipiente usado para servir o tereré é a guampa.

E hoje a gente quer debater, afinal, como é feita a guampa?

touro com chifres bem grandes

O autêntico tereré é na guampa

Por todo o charme que a tradição traz, o uso da guampa proporciona uma ótima experiência a quem aprecia o tereré.

Produzidas em diversos tamanhos, com um belo acabamento externo brilhante, adornadas ou não com couro ou metal, a guampa é vaso rústico feito de chifre de boi.

guampa de tereré

Para chegar na forma da guampa como a conhecemos, o chifre de boi é lavado muitas vezes até que esteja pronto para o uso.

Depois, é cortado e lixado para, enfim, ser revestido com couro e finalizado com verniz e ganhar aquela aparência que brilha aos nossos olhos.

É preciso que a guampa esteja bem vedada para usá-la.

Por isso, no seu fundo é colada uma madeira para garantir que a água não vaze.

Em um primeiro uso, o ideal ainda é inserir a água e deixar a madeira ceder e se fixar.

O mais legal é que a guampa pode ainda ter adereços com figuras dos símbolos da família, iniciais de nome, escudo do seu time ou pedras preciosas, por exemplo.

A gente, que ama o tereré, adora tomar o verdinho em uma guampa bem guapa, né?!

Mas por aqui usa-se, também, um copo de alumínio ou vidro ou até de plástico mesmo.

O importante é mantê-lo na dieta, até porque ele traz inúmeros benefícios, como já falamos aqui!

E você, como prefere o seu?

Fale pra gente nos comentários!

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Gente boa é a capivara A terra do ET BILU O Baratão de Corumbá Peixes do Pantanal Urutau – Mãe-da-lua