Categorias
Animais Silvestres

Infestação de grilo em Campo Grande?

Preparados para dormir ao som do grilo. Ou melhor, grilos! A cidade está cheia deles, então bora conhecer mais esse inseto!

Está tendo oficialmente uma infestação de grilo em Campo Grande?

Com certeza, você já deve ter se deparado com um grilo por aí, né, Mateiro?

Afinal, ele é um inseto bastante comum em muitos lugares.

Porém, apesar de o grilo ser altamente valorizado na cultura asiática, por aqui, vimos muita gente reclamando da presença deste amiguinho.

Inclusive, ele é inquilino em quase toda residência de Campo Grande nesta época.

Bora conhecer mais sobre o grilo, o animalzinho que faz a trilha sonora das nossas noites.

Tipos de grilo

Pra começar, os tipos de grilo variam em cor, tamanho e habitat.

Porém, as características são bem parecidas. 

Assim, eles apresentam variação no tamanho.

Eles medem de 3 a 50 mm de comprimento, possuindo antenas longas e,  muitas vezes, curvadas para trás.

No geral, são cilíndricos e levemente achatados, apresentando cabeça, tórax, abdome e dois pares de asas. 

Além disso, as tonalidades de colorações variam do castanho-amarelado ao preto ou marrom.

As pernas traseiras são longas e fortes, visivelmente mais grossas e maiores que as pernas dianteiras.

Pois elas são apêndices locomotores adaptados ao salto.

Inclusive, muitas espécies de grilo possuem espinhos afiados em suas pernas. 

Igualmente a outros insetos, os grilos apresentam seu tímpano na perna, agindo como um ouvido e capturando o som.

Inegavelmente de hábitos noturnos, o grilo é muito ativo durante a noite.

Além disso, sua atividade é predominantemente controlada pelo clima e temperatura.

Ou seja, eles são mais ativos nos meses mais quentes e permanecem abrigados em temperaturas mais baixas.  

Bom, o grilo é um inseto e pertencente à família Gryllidae.

Atualmente, existem mais de 2000 espécies de grilos, presentes em várias regiões do mundo (exceto na Antártida e no Polo Norte). 

Porém, a que invade nossas casas nesta época é chamada de grilo-doméstico, cujo nome científico é Acheta domesticus.

Grilos são inofensivos aos seres humanos

Antes de mais nada, é importante lembrar que grilos colonizaram muitos ambientes, mas são inofensivos aos seres humanos.

As espécies selvagens são encontradas em pântanos, florestas, campos e pastagens, árvores e arbustos, cavernas e praias de regiões litorâneas.

Mas os grilos-domésticos habitam ambientes urbanos, dentro de casas.

Ou seja, é comum encontrá-los atrás de móveis, em lareiras e fornos, em armários, frestas e sob tábuas do assoalho. 

Dessa forma, ele é chamado de doméstico porque é a única espécie de grilo que ocupa e se reproduz dentro de casa. 

No entanto, outros grilos frequentemente utilizam ambientes domésticos como abrigo e em busca de alimento, ou involuntariamente.

Pois são atraídos pelas luzes durante a noite.

Acima de tudo, saiba que os grilos não fazem mal para o ser humano nem existe doença conhecida que seja transmissível por ele.

Caso eles sejam realmente um problema para você, existem algumas formas simples que podem ajudar a evitar a presença de grilos.

Pra começar, evite bagunça no quintal e na casa.

Pois eles estão sempre em busca de um lugar para se esconder e reproduzir.

Além disso, você pode cultivar plantas eficazes no combate a pragas, como cravinho, alho e ervilhas.

Deixe que a natureza equilibre as coisas.

Ou seja, animais como lagartos, aranhas e sapos tendem a comer os grilos.

Simultaneamente, use luzes frias como uma forma de se livrar de insetos de modo geral.

Pois eles se atraem por luzes que emitem calor, como das antigas lâmpadas.

Por que os grilos cantam à noite?

Como já dissemos, apesar de existirem espécies diurnas, a maioria dos grilos têm atividade noturna.

De fato, há grilos que não cantam e ainda uns que cantam mais alto que outros.

Normalmente, apenas os machos estridulam, ou melhor, emitem esse som estridente.

Porém, eles têm sons para diferentes propósitos.

Nesse sentido, o mais som mais comum é para chamar atenção das fêmeas.

Dessa maneira, eles emitem som esfregando suas asas.

Curiosamente, um músico gravou o canto e o desacelerou. 

Como resultado, percebemos a incrível semelhança com a voz humana.

A natureza é incrível mesmo, né?

Agora você já sabe que não precisa ficar grilado… (desculpe)!

Mas fala pra gente, como está aí na sua casa?

Já recebeu a visita de muitos grilos?

Por aqui,  nossos pets adoram brincar de caçar com eles!

Tem mais alguma dica? Divide com a gente!

Até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *