Skip to content

Lontra-gigante, ariranha é a maior lontra do mundo

Não é à toa, Mateiro, que a ariranha (Pteronura brasiliensis) é considerada a maior lontra do mundo.

Isso porque o animal pode atingir até dois metros e pesar cerca de 34 quilos.

Ou seja, ela é uma das maiores entre as espécies de lontras que existem.

Por isso, ela ainda é conhecida como lontra-gigante ou onça-d’água.

Inclusive, seu nome vem do tuí-guarani ari’raña, que quer dizer “onça d’água” 

Assim, esse mamífero de hábitos semiaquáticos é o nosso destaque hoje!

Qual a curiosidade da ariranha?

Para começar, ela é um mamífero característico do Pantanal e da bacia do rio Amazonas, na América do Sul.

Porém, elas também habitam alguns países vizinhos, como Colômbia, Bolívia, Venezuela e Peru, por exemplo.

É uma espécie sociável, diurna, brincalhona, que vive em grupos de 3 a 20 indivíduos, sendo um casal com jovens e filhotes.

Assim, elas vivem curiosas, barulhentas e cooperativas.

Contudo, ela pode ser pacífica, mas também é territorialista.

Dessa forma, podem acontecer agressões, com vocalizações que indicam alarme.

Inclusive, já existe registro de 22 vocalizações, usadas na comunicação entre elas.

Mesmo assim, grupos se evitam e os conflitos são raros.

Além do tamanho, uma característica da ariranha é que ela possui manchas brancas no pescoço.

Da mesma forma que as manchas da onça-pintada, essas manchas da ariranha são únicas de cada uma.

Ou seja, podem ser usadas para a individualização dos animais.

Como excelentes nadadoras e mergulhadores, elas têm membranas entre os dedos e cauda achatada, que facilitam a locomoção na água.

Inclusive, é onde ela caça.

Pois se alimenta de peixes, podendo comer até 3kg por dia.

Apesar de raro, outras presas também podem fazer parte do cardápio.

Tais como caranguejos, moluscos, pequenos mamíferos e aves.

Assim como animais grandes, como tartarugas, cobras e jacarés.

Nesse sentido, ocorrem ultimamente encontros em que ariranhas expulsam onças-pintadas das margens dos rios.

Essas lontras-gigantes fazem isso por meio de vocalizações e outros comportamentos agressivos.

 

Reprodução da lontra-gigante

Ainda sobre a agressividade, as fêmeas ficam mais agressivas e menos dispostas a brincarem na época reprodutiva.

Em média, elas se reproduzem até os 11 anos de idade.

Enquanto os machos se reproduzem até os 15.

Assim, a gestação dura cerca de 60 dias e pode nascer de um a cinco filhotes.

Eles nascem dentro de tocas e só saem de lá com cerca de 9 meses.

Desde que nascem ficam com a família até atingirem três anos.

Depois disso, saem e iniciam um novo grupo.

Por que a ariranha está ameaçada de extinção?

Assim como outros animais do Pantanal, as ariranhas tiveram grande redução de população nos últimos anos.

Isso porque elas têm duas principais ameaças: a destruição de habitats e a contaminação da água dos rios.

Além disso, ainda há o conflito com pescadores, que a caçam por sua pele.

Assim, elas estão tidas como “em perigo”, pela IUCN, e “vulneráveis”, pela lista nacional do ICMBio.

Qual a diferença entre a ariranha e a lontra

Apesar de serem da mesma família (Mustelidae), a ariranha e a lontra (Lontra longicaudis) são diferentes entre si.

Primeiramente, por causa do tamanho.

Como já vimos, as ariranhas são as lontras-gigantes e, assim, bem maiores que as lontras e apresentam a singular mancha branca no corpo.

Além disso, elas também têm um hábito diferente. 

Enquanto as ariranhas são diurnas, as lontras preferem a noite.

Acho que é isso, Mateiro!

Já dá pra identificar e amar ainda mais as ariranhas?!

Deixe seu comentário.

A gente se vê.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Gente boa é a capivara A terra do ET BILU O Baratão de Corumbá Peixes do Pantanal Urutau – Mãe-da-lua