Skip to content
A

A verdade sobre a onça-pintada do Pantanal

Podendo pesar até 135 kg, ela, que é o maior felino das Américas, tem uma potência única e vive bem aqui no nosso quintal, o Pantanal, a onça-pintada (Panthera onca). Aeeee

Antes de mais nada, ela tem as pintinhas mais lindas que a gente ama, né? E sabia que elas são uma característica individual de cada uma?

Assim como a nossa digital, cada onça possui um padrão único de pintas.

Ou seja, não é à toa que ela é incrível.

Mas que também deixa a gente arrepiado.

Então, bora conhecer um pouco mais deste felino que reina por aqui no nosso bioma Pantanal.

onça-pintada no Pantanal
Photo credit: Bart vanDorp on Visualhunt / CC BY

Conheça a onça-pintada

Para começar, a mordida da onça é a mais poderosa entre os felinos, e sua mandíbula pode perfurar a carapaça de uma tartaruga, por exemplo.

Inclusive, o canino da onça pode chegar a 5 cm de comprimento.

Além de ter garras retráteis, que são expostas no momento do ataque.

Diferentemente de outras espécies de felinos, que emitem miados como forma de comunicação, a onça-pintada faz parte do gênero Panthera.

Assim como o tigre (Panthera tigris), o leão (Panthera leo) e o leopardo (Panthera pardus).

Dessa forma, essas espécies têm uma ossificação incompleta do osso hioide, que se localiza na região da garganta e colabora para um som grave e forte como conhecemos.

Inclusive, o som do rugido da onça recebe o nome de esturro e é utilizado na comunicação entre elas.

Principalmente no período de reprodução, único momento em que machos e fêmeas se encontram, pois são naturalmente solitários.

onça-pintada mostrando os dentes

Desse encontro, costumam nascer de dois a quatro filhotes, de uma gestação de cerca de 100 dias, com os filhotes permanecendo com a mãe por até 17 meses, quando começam a desgarrar e procurar seu próprio território.

Mais curiosidades sobre a onça-pintada

Antecipadamente, avisamos que ela é o maior felino das Américas.

Mas você consegue ter noção do seu tamanho?

Não é à toa o título de gigante das Américas.

Isso porque ela pode medir cerca de um metro e 90 cm de comprimento e 80 cm de altura.

Além de chegar a pesar até 135 kg.

Outra curiosidade deste mamífero é o seu corpo coberto por pelos, na cor amarelo-dourado com manchas pretas na cabeça, no pescoço e nas patas.

Já nas partes das costas, ombros e flancos, essas manchas aparecem em forma de roseta com pontos dentro.

Inclusive, alguns animais apresentam ainda um tipo de melanismo.

Por isso, apresentam a pelagem na cor preta.

Contudo, podemos observar as rosetas mesmo assim, conforme a luminosidade.

Assim, essas são chamadas de onças-pretas.

Durante a sua vida, a onça-pintada tem como presa natural animais silvestres, como jacarés, porco-do-mato, capivaras, catetos, veados, entre outros.

Para a sorte da onça-pintada, em suas caças, a Panthera onca consegue subir em árvores com facilidade e nadar agilmente, o que pode proporcionar um cardápio bem variado.

Inclusive, o ser humano não faz parte da dieta da onça-pintada, mas claro que existem registros de ataques de onça na região pantaneira.

Bom, sabemos que, mesmo que a onça-pintada esteja acostumada com a presença dos pantaneiros, elas são animais selvagens.

onça-pintada deitada na mata
de boa, onça-pintada esperando chamar para o tereré

Por isso, uma aproximação sem cuidados, mesmo durante passeios, é expor a onça e as pessoas a um risco muito alto.

A expectativa de vida da onça-pintada é de 25 anos.

Onde a onça-pintada foi extinta?

A população de onça-pintada está diminuindo!

Sempre em movimento, a onça-pintada é um mamífero que pode ser mais ou menos avistado, dependendo do clima, da estação do ano ou das condições naturais.

Atualmente extinta nos Estados Unidos, hoje a onça-pintada vive no México, na América Central e na América do Sul.

Mas é em uma parte do pantanal brasileiro que podemos ver sua pelagem amarelo-dourado e pintas pretas com mais frequência.

Porém, elas comem rebanhos e provocam grande prejuízo financeiro aos fazendeiros.

Por isso, a onça-pintada é alvo de caça no Pantanal, mesmo com a proibição da caça de animais silvestres.

Além da caça de animais silvestres, outras causas da diminuição da população de onças-pintadas no Pantanal são as crescentes alterações ambientais e o desmatamento.

Enfim, precisamos garantir a sobrevivência das onças-pintadas.

Pois, apesar de reinar no topo da cadeia alimentar, a onça-pintada está vulnerável à extinção, como vários animais do Pantanal.

Ainda bem que existem organizações que ajudam a conservar as onças-pintadas, como o Instituto Onça-Pintada e a Associação Onçafari.

Inclusive, fica o convite para conhecer e ajudar, se puder.

Assim, a criação do Dia da Onça-Pintada, em 29 de novembro, vem com este papel desde outubro de 2018.

Então, se o objetivo é conscientizar sobre os desafios para a conservação desse felino que está ameaçado de extinção, compartilhe com todo mundo este post!

Afinal, como não se preocupar em cuidar de um dos nossos maiores símbolos?


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando o conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.