Categories
Mato Grosso do Sul Oriente-se

Ciclovia e mobilidade urbana em Campo Grande

Campo Grande viu, nos últimos anos, a expansão das ciclovias na cidade, que hoje conta com 90 km de estrutura para o ciclismo e mobilidade urbana.

Ciclovia e mobilidade urbana

A partir do ponto em que concordamos que poderia ser mais (né?), esse crescimento levou nossa Morena ao 4º lugar no ranking sobre as capitais do Brasil que oferecem mais vias em relação ao total da população.

A capital sul-mato-grossense somou 10,8 km para cada 100 mil habitantes, segundo dados da Revista Galileu.
Nesse contexto, é possível observar que a bicicleta tornou-se motivo de esporte e lazer para o campo-grandense, mas ela ainda não é vista por aqui como meio de transporte.

Vamos adotar a bicicleta como meio de transporte?

As ruas são corredores de mobilidade e, assim, carros, motos, ônibus, caminhões, ciclistas e pedestres devem ser contemplados.

Ok, pode parecer uma ideia maluca usar a bicicleta como meio de transporte em uma cidade que não oferece muito conforto ao usuário do modal e em um trânsito em que assistimos a várias “campo-grandagens” em uma volta na quadra.

Deixando um pouco de lado a situação das ciclovias e a segurança no trânsito, Campo Grande, com sua topografia plana, tem um terreno favorável para iniciarmos essa prática.

Ciclovia e mobilidade urbana

Exercitar-se e preservar o meio ambiente são bons motivos para largar o carro e adotar a bike como meio de transporte, por exemplo.

A simples rotina de trocar o carro pela bicicleta em idas à padaria ou ao shopping ajuda na solução de problemas modernos, como sobrepeso, poluição urbana, gasto com gasolina e quilômetros de congestionamento – aliás, estacionar a “magrela” é bem mais fácil também.

Claro que na Campo Grande ideal, teríamos a interligação entre as ciclovias, mas alguns lugares são bem mais favoráveis para os ciclistas da Cidade Morena, como o Parque Linear do Córrego Lagoa, o Complexo do Parque Linear dos córregos Imbirussu e Serradinho e as avenidas Afonso Pena e Gury Marques, por exemplo.

Mas, com o crescimento dos nossos bairros, cada vez mais, podemos encontrar tudo o que precisamos por perto, o que beneficia quem usa bicicletas, uma opção ideal para distâncias mais curtas.

Uso das bicicletas pelos funcionários pode trazer benefícios à empresa

Ainda não existem em Campo Grande muitas empresas que oferecem incentivo para funcionários que usam o transporte sobre duas rodas, como vestiários, bicicletários e até auxílio financeiro para incentivar essa mobilidade urbana.

Ciclovia e mobilidade urbana

Mas funcionários que usam a bicicleta para deslocar-se até a empresa ganham aumento na qualidade de vida e isso se reflete no ambiente de trabalho, tornando-o mais agradável e produtivo.

Empresários conscientes saem na frente ao adaptar sua estrutura e, se organizar direitinho, todos podemos ser saudáveis e colaborativos com a natureza.

Pesquisas já revelaram que, em média, ciclistas vivem 2 anos a mais, solicitam 15% a menos dias afastados do trabalho por doenças e são pontuais, com faltas reduzidas em 80%.

Empolgou? Então pedale com segurança

Uma iniciativa tem colaborado para que os ciclistas de Campo Grande pedalem com mais segurança e tranquilidade.

O Mapa Cicloviário Colaborativo é uma ferramenta compartilhada em rede que todos podemos acessar e sugerir informações, como extensões das ciclovias, ciclofaixas e calçadas compartilhadas na Capital Morena.

No mapa contém ainda localização de paraciclos, borracharias, bicicletarias e trechos considerados perigosos, conforme índices de acidentes de trânsito.

Algumas experiências mostraram que a adesão espontânea ao deslocamento por bicicletas tem influenciado mudanças nas empresas e até nas cidades. Então, bora pedalar!

Dá para começar aí por perto no seu bairro. Coloque o capacete e sinta o vento no rosto!
Bom pedal!