Primeiro sobrado em alvenaria da cidade, a Morada dos Baís completa 100 anos em 2018 e é um dos mais importantes centros culturais de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

A construção da Morada dos Baís se iniciou em 1913, trazendo um estilo classicista com tendência neoclássica.

Foi a primeira obra da cidade edificada em alvenaria, com argamassa de saibro, cal e areia, coberta com telhas de ardósia que vieram da Itália.

O engenheiro João Pandiá Calógeras foi o autor do projeto, executado pelo sr. Matias, um imigrante italiano.

Ao ser concluída, em 1918, o local tornou-se residência da família de Bernardo Franco Baís, empresário italiano que mudou para o Brasil quando tinha 15 anos.

Morada dos Baís

Uma das filhas de Bernardo Baís, Lídia Baís pinta os painéis nas paredes do sobrado. A sala azul era o quarto de Lídia, intitulada Sala Mística, e a sala rosa, a Sala das Paixões.

Após o falecimento de Bernardo, a família mudou-se para outra casa e alugou o espaço para Nominando Pimentel.

Família Pimentel transformou local em pensão

Com a morte de Bernardo – atropelado por uma locomotiva da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil -, aos 77 anos, o prédio foi alugado para Nominando Pimentel (de Rio Brilhante).

Agora sob administração da família Pimentel, o local tornou-se a Pensão Pimentel, que funcionou até 1979.

No ano de 1974, um incêndio tomou conta do prédio que, consumido pelo fogo, teve seu madeiramento da cobertura, telhas de ardósia e pisos de madeira destruídos.

Sem encontrar as telhas originais, a reforma foi feita com telhas de barro do tipo francesa.

Em 1979, a Pensão Pimentel fechou suas portas, deixando o prédio para uso comercial, como sapataria, escola de rádio e TV, casa lotérica, alfaiataria, até período em que foi abandonado.

No ano de 1986, o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Cultural do Município.

Morada dos Baís

Morada dos Baís restaurada, espaço de cultura

Na década de 1990, o prédio foi restaurado por meio de um projeto dos arquitetos Regina Maura Lopes Couto, Fernando Antônio Castilho e Mário Sérgio Sobral Costa, que visava preservar as pinturas de Lídia Baís.

Assim, foi inaugurado o Centro de Informações Turísticas e Culturais, transformando-se do espaço de cultura como o conhecemos.

Sob comando do Sesc MS, o casarão é um verdadeiro centro cultural, em que o moderno e o antigo se encontram, valorizando a história do prédio e da cidade.

Atualmente, a Morada dos Baís possui três salas reservadas para mostras, espaço para apresentações musicais, restaurante e o Museu Lídia Baís, que reúne objetos pessoais da família e obras da artista, assim como exposições temporárias.

A Morada dos Baís está localizada na região central da cidade, na avenida Afonso Pena.

Visite mais locais destinados à história em Campo Grande e comente aqui os que você mais gosta! > Acesse

Fotos: SESC


por

Publicado

em

Tags:

Entre nessa trilha, receba nossas atualizações no email.

Comentários

4 respostas para “Morada dos Baís completa 100 anos”

  1. Avatar de Raquel Raposa

    Muito bom, esse site ajudou meus estudos!

  2. Avatar de Raquel Raposa

    Muito bom, esse site ajudou meus estudos!

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: