Primeiro sobrado em alvenaria da cidade, a Morada dos Baís completa 100 anos em 2018 e é um dos mais importantes centros culturais de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

A construção da Morada dos Baís se iniciou em 1913, trazendo um estilo classicista com tendência neoclássica.

Foi a primeira obra da cidade edificada em alvenaria, com argamassa de saibro, cal e areia, coberta com telhas de ardósia que vieram da Itália.

O engenheiro João Pandiá Calógeras foi o autor do projeto, executado pelo sr. Matias, um imigrante italiano.

Ao ser concluída, em 1918, o local tornou-se residência da família de Bernardo Franco Baís, empresário italiano que mudou para o Brasil quando tinha 15 anos.

Morada dos Baís

Uma das filhas de Bernardo Baís, Lídia Baís pinta os painéis nas paredes do sobrado. A sala azul era o quarto de Lídia, intitulada Sala Mística, e a sala rosa, a Sala das Paixões.

Após o falecimento de Bernardo, a família mudou-se para outra casa e alugou o espaço para Nominando Pimentel.

Família Pimentel transformou local em pensão

Com a morte de Bernardo – atropelado por uma locomotiva da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil -, aos 77 anos, o prédio foi alugado para Nominando Pimentel (de Rio Brilhante).


Agora sob administração da família Pimentel, o local tornou-se a Pensão Pimentel, que funcionou até 1979.

No ano de 1974, um incêndio tomou conta do prédio que, consumido pelo fogo, teve seu madeiramento da cobertura, telhas de ardósia e pisos de madeira destruídos.

Sem encontrar as telhas originais, a reforma foi feita com telhas de barro do tipo francesa.

Em 1979, a Pensão Pimentel fechou suas portas, deixando o prédio para uso comercial, como sapataria, escola de rádio e TV, casa lotérica, alfaiataria, até período em que foi abandonado.

No ano de 1986, o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Cultural do Município.

Morada dos Baís

Morada dos Baís restaurada, espaço de cultura

Na década de 1990, o prédio foi restaurado por meio de um projeto dos arquitetos Regina Maura Lopes Couto, Fernando Antônio Castilho e Mário Sérgio Sobral Costa, que visava preservar as pinturas de Lídia Baís.

Assim, foi inaugurado o Centro de Informações Turísticas e Culturais, transformando-se do espaço de cultura como o conhecemos.

Sob comando do Sesc MS, o casarão é um verdadeiro centro cultural, em que o moderno e o antigo se encontram, valorizando a história do prédio e da cidade.


Atualmente, a Morada dos Baís possui três salas reservadas para mostras, espaço para apresentações musicais, restaurante e o Museu Lídia Baís, que reúne objetos pessoais da família e obras da artista, assim como exposições temporárias.

A Morada dos Baís está localizada na região central da cidade, na avenida Afonso Pena.

Visite mais locais destinados à história em Campo Grande e comente aqui os que você mais gosta! > Acesse

Fotos: SESC

|

Mato Grosso do Sul

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: