Skip to content
Um

O que levar para a trilha de um dia?

Mateiro, você sabe o que levar para a trilha de um dia?

Às vezes, a gente acaba escolhendo coisas desnecessárias e deixando pra trás itens essenciais que podem ajudar na hora de um aperto.

Quando estamos isolados na natureza podem acontecer muitos imprevistos.

Por isso, prepara a caneta pra anotar tudinho o que levar para a trilha!

Porém, hoje vamos indicar os itens essenciais para uma trilha de um dia. 

Então, bora preparar a mochila!

Itens que você tem que levar para a trilha de um dia

Mochila de ataque

Claro que você consegue fazer a trilha com a mochila que você tiver. 

Mas ter uma mochila de ataque faz toda a diferença.

Isso porque ela é perfeita para uma caminhada rápida, que não seja necessariamente obrigatório o pernoite.

Ou seja, ela não é tão grande quanto uma mochila cargueira, que precisa carregar coisas pra vários dias.

Assim, uma mochila de ataque possui tamanho entre 25 a 45 litros.

Head lamp ou lanterna

Você pode ter planejado seu dia, mas nunca se sabe até que horas pode acabar ficando no mato.

Então, se escurecer, tem que estar preparado!

Por isso, seja qual for o tipo de lanterna que preferir, não esqueça de levá-la!

Jaqueta corta-vento impermeável

Igualmente importante caso também tenha que ficar até mais tarde ou em ambiente selvagem inesperadamente.

A jaqueta impermeável proteger contra chuva e vento.

Botas/tênis

Aqui é importante saber que não importa que sua trilha seja rapidinha. 

É necessário ter  um calçado que seja específico para trilha.

Ou seja, indicados para caminhadas de longas distância, em terrenos irregulares, que protegem o tornozelo contra torções e tenham um revestimento impermeável e seja resistente, para não ser perfurado por pedras, por exemplo.

No geral, materiais de algodão devem ser evitados em todas as peças.

Mas principalmente nas meias, que tendem a se molhar e causar bolhas, se passar por caminhos encharcados ou enfrentar uma chuva.

Aliás, é sempre bom checar a previsão do tempo.

Porém, mesmo com sol, a gente sabe que o clima pode mudar. 

Principalmente por aqui, não é mesmo?

Garrafa d’água

Outro item indispensável na lista de o que levar para a trilha é sua garrafa de água.

Sabe como é Mato Grosso do Sul.

Aqui o calor é terrível muitas vezes. 

Então é MUITO importante ter sempre água disponível.

Uma dica que a gente sempre faz é deixar a garrafa no congelador por algumas horas antes de sair.

Dessa forma, e água fica bem gelada ou até se torna gelo mesmo.

É inevitável que ela esquente, mas isso vai mantê-la fresca por mais tempo.

Óculos de sol

Bom, com o calor tem o sol sul-mato-grossense.

Por isso, os óculos de sol ajudam a proteger os olhos, pois a exposição exagerada ao sol é prejudicial.

Ter um boné também pode colaborar nisso.

Inclusive, usem protetor solar.

E, pra proteger ainda mais a pele, repelente!

Bastões de caminhada

Pode até não parecer, mas os bastões de caminhada ajudam muito.

Sobretudo, na descida, eles evitam quedas que poderiam ser bem feias.

Além de economizar as nossas articulações, principalmente dos tornozelo e joelho.

Pequeno kit de primeiros socorros

Pra começar, seu kit precisa ser de fácil identificação, pra que possa ser reconhecido rapidamente numa emergência.

Sendo bem básico, é importante ter um pouco de cada coisa.

Tais como esparadrapo, band-aids, gaze, pinça, cotonetes, soro fisiológico e spray antisséptico.

Celular carregado

Pois é, e não é apenas para fotos, não.

Isso porque você pode precisar dele para o caso de alguma eventualidade e precisar pedir ajuda.

Lembre-se ainda de contatar pessoas que estão sempre indo a essas trilhas, porque elas podem mudar e não é legal ser pego de surpresa numa aventura.

O que levar para trilha e acampamento?

Caso sua aventura seja de mais dias ou até mesmo um acampamento, lembre-se de se preparar melhor.

Mas o que isso quer dizer?

Basicamente que sua lista de o que levar para a trilha vai aumentar bastante.

Pois você terá que pensar em tudo que precisará por dias a mais.

Além de ser capaz de resolver inconvenientes que ninguém deseja, mas podem acontecer.

Tais como chuva, acidentes ou de se perder na mata, por exemplo.

Assim, alguns itens são indispensáveis, para garantir uma experiência mais agradável.

A gente tem um post bem completinho com tudo que não pode faltar no seu kit sobrevivência, se for o caso de você estar em busca de respostas sobre o que levar para acampar bem aqui!

Claro, sem se esquecer o básico.

Ou seja, tudo que já falamos anteriormente mais os itens de higiene pessoal, kit primeiros-socorros e remédios que você toma regularmente não podem ficar para trás.

Então, faça um checklist e o mantenha por perto para consultar ao fazer as malas!

O que levar para a trilha de um dia? - Aquele Mato

O que levar pra comer na trilha?

Às vezes a gente também se esquece de como é importante pensar com carinho no que vai comer na caminhada.

Claro que aqui você leva o que prefere comer. 

Porém, é preciso considerar o percurso e o tempo que vai levar para fazer a trilha ou os dias que você vai ficar acampando, se for o caso.

Por isso, convidamos a nutricionista Luane Amaral para ajudar a gente a montar um lanchinho gostoso e nutritivo para sua trilha!

Bora?

Melhores alimentos para levar na trilha

Para começar, ao pensar sobre o que levar pra comer na trilha é bom adicionar os alimentos que já fazem parte da sua rotina.

Afinal, ninguém quer um problema de intestino no meio do mato, né?!

Além disso, já é comum consumir comidas prontas, em paradas de estrada, lanchonetes, lugares turísticos etc.

Então, melhor que na sua mochila tenha alimentos que seu corpo esteja acostumado.

Mas, obviamente, nada muito pesado.

Tanto para o estômago quanto para a mochila.

Nesse sentido, não há diferença no que levar para comer na trilha curta ou longa, mas, sim, na quantidade.

Na prática, não precisa levar muita comida para trilhas curtas, que levam apenas um dia. O famoso bate-volta.

Dessa maneira, a profissional avisa que, para a realizar as trilhas, é necessário organizar as refeições previamente.

Ou seja, pensando em quais refeições vão acontecer no percurso, seja ele curto ou longo.

Café da manhã, almoço e jantar no mato

Pra começar, o café da manhã.

Antes de mais nada, a sugestão de Luane é a ingestão de alimentos energéticos, proteicos, ricos em minerais, vitaminas e líquidos.

Por exemplo, você pode escolher tomar um copo de café com leite desnatado, iogurte, bebida láctea, pão com geleia, fruta ou suco de fruta.

Porém, se a trilha começar logo após a refeição, cuide para que ela seja de intensidade progressiva.

Assim, o exercício não vai interferir na sua digestão nem provocar mal-estar.

Ao longo do caminho, a indicação é que você faça pequenos lanches a cada 3 horas ou quando sentir a necessidade.

Nesse momento, os alimentos mais indicados devem ser ricos em carboidratos de média a rápida absorção e em potássio.

Tais como frutas (bananas, tangerina, maçã, uva), pão com mel ou geleia, biscoitos, frutas secas, sucos etc.

Finalmente, para almoço e jantar, sempre que não for possível o uso da cozinha ou mesmo a aquisição de alimentos para elaboração, a recomendação da profissional é levar sanduíches.

Afinal, um pão com seu recheio preferido sempre vai bem.

Dessa maneira, você pode preparar seu sanduba com pão integral, queijo, ricota, patê de atum/frango, hambúrguer, filé de frango ou bovino, cenoura, alface, milho etc.

Do mesmo modo, você pode ainda levar legumes cozidos, como batata-doce, chuchu, abobrinha, cenoura, entre outros para acompanhar.

Porém, é importante lembrar de não colocar ingredientes ou alimentos que pereçam facilmente, como maionese.

Lembre-se: para garantir a disposição, evite alimentos gordurosos e frituras, que são de difícil digestão.

O que levar para cozinhar?

Se você tiver espaço e local, que tal separar o que levar para cozinhar no acampamento?

Além do clássico macarrão, a lista com alimentos para cozinhar é bem saborosa.

Isso porque o almoço e o jantar podem ser feijão cozido em caixinha, purê de batata desidratado, farofa pronta, temperos desidratados, legumes e tomate.

Lembrando que, para vegetarianos e veganos, a proteína de soja substitui a carne em molhos para o macarrão, por exemplo.

Além de ter opções como cogumelos ou discos de hambúrguer feitos à base de grãos, como lentilha, ervilha e grão de bico.

Uma possibilidade de almoço bem gostoso seria um wrap de shiitake.

Agora, definitivamente, depois da trilha é necessário descanso.

Mas também lembrar de alimentar seu corpo.

Então, atenção ao consumo adequado de água e alimentos ricos em carboidratos e proteínas, para auxiliar na reconstrução muscular e na reposição de glicogênio (reserva de carboidratos).

Assim, fique à vontade para comer arroz, aveia, batata, feijão, frutas, produtos lácteos e carnes.

Beba água

Beba água, muuuuita água.

A gente falou de muita comidinha gostosa.

Mas é sempre bom lembrar que a ingestão de bastante água já deve começar antes mesmo de sair para a trilha.

Em relação a isso, a nutricionista recomenda o consumo a cada 20 min e, quando necessário, o consumo de uma bebida esportiva.

Então, tome água antes de sair e já reponha sua garrafa.

Inclusive, não espere sentir sede para se hidratar.

Pois a sede já é um sinal de desidratação.

Além disso, a água pode ser importante para preparar a comida ou até um soro caseiro em caso de emergência, especialmente em problemas intestinais.

Fora a água, aqui somos viciados em café também!

E uma dica é passar água quente na sua garrafinha térmica para que o café permaneça quentinho durante toda sua caminhada.

Vale ressaltar que sugerimos coisas simples e de fácil acesso, mas todas as recomendações podem ser adaptadas.

É importante sempre conversar com um nutricionista para que você tenha um menu que se enquadre no seu perfil.

Além disso, teste suas receitas em casa antes da trilha.

Afinal, é melhor conhecer a preparação dos alimentos e não deixar pra descobrir quando estiver lá em cima do morro.

Planeje-se bem que não tem erro!

Necessidades fisiológicas na trilha

Ahhh… e com tudo isso, a gente ainda tenta manter a trilha limpa das nossas necessidades fisiológicas, né?!

A gente sabe, o assunto não cheira bem, mas é necessário!

Afinal você já deve ter passado por alguma situação em que não consegue “ir ao banheiro” fora de casa e ficar relutante em usar o “matinho”.

Porém, vamos concordar que é bem desagradável encontrar papel higiênico ou fezes humanas pela trilha, certo?

Então, melhor tentar deixar a natureza livre dos nossos rastros.

Pra começar, procure por lugares longe de nascentes e córregos, para preservar a qualidade da água.

A partir daí, temos algumas opções.

Tal como fazer um buraco de aproximadamente 15 cm, lembrando de reservar a terra para cobrir o buraco depois.

E é ali mesmo que você vai fazer suas necessidades fisiológicas.

Depois, reserve o papel higiênico usado, sempre tendo em mãos uma sacolinha para guardar o lixo.

Para nenhum animal desenterrar, coloque uma pedra por cima antes de fechar.

Lave bem as mãos em seguida e, se tiver álcool em gel, melhor ainda.

Alguns mateiros adotam o banheiro portátil em acampamentos de mais dias.

Basicamente, é uma barraca alta com assento dobrável e sacos plásticos para armazenar os dejetos.

Fora do Brasil é bem comum o uso do shit tube ou poop tube e está cada vez mais comum por aqui também.

Pra ser breve, ele é exatamente isso mesmo, um tubo para guardar as necessidades.

Assim, ele é uma opção necessária para trilhas em que passam muitas pessoas e fica complicado enterrar no caminho.

Você pode aprender a fazer shit tube com a gente, aqui!

Com certeza, não é muito confortável fazer as necessidades no mato.

Mas lembre-se de que é essencial respeitar o meio ambiente.

O que fazer para evitar acidentes na trilha?

Antes de tudo, para evitar acidentes na trilha, vamos garantir que você não sobrecarregue sua mochila com acessórios desnecessários ou perigosos.

Por isso, nada de garrafa de vidros, equipamentos movidos à base de eletricidade e lâminas grandes (equipe-se apenas com um canivete de pequeno porte).

Fique atento com as condições climáticas da sua região.

Ou seja, é importante saber a previsão do tempo para que a chuva não torne o caminho escorregadio.

Além de estar observando possíveis locais em que as cabeças-d’água podem surpreender, vindas de outras regiões onde choveu muito.

Geralmente, bombeiros pedem cautela sobre o volume de água, que pode gerar grande correnteza, e para evitar águas muito geladas, que podem causar câimbras.

Aliás, brincadeiras como empurrar amigo para a água podem ser perigosas também.

Cuidado, ainda, com informações ou falta delas na internet.

Pois é comum vermos fotos de lugares lindos, mas que não explicitam detalhes e perigos do lugar.

Inclusive, em relação aos animais que podem estar por ali.

Normalmente, se for uma trilha conhecida, os animais já estão acostumados com a presença humana no local.

Mas sempre há o risco de encontrar uma cobra na trilha ou qualquer outro bicho daquele bioma, né?!

Então, busque por informações e esteja atento ao estar no habitat deles.

Benefícios de fazer trilha

Inegavelmente, se você está buscando por trilhas é porque já gosta ou tem curiosidade para começar a se aventurar na natureza.

Mas é bom saber que, além de um hobby gostoso que nos permite conhecer lugares incríveis, fazer trilha traz muitos benefícios para a nossa saúde.

Assim, entre os benefícios de fazer trilha estão o estímulo à circulação sanguínea, a melhora da capacidade cardiorrespiratória e o combate ao colesterol ruim, à insônia, à ansiedade e à depressão, estimulando ao bem-estar.

Dessa forma fica evidente que fazer trilha pode ser um exercício leve, de baixo custo, que reduz os riscos de doença e é fácil de executar.

Principalmente por aqui, onde temos vários lugares para começar!

Qual trilha fazer em um dia?

Pra começar, o Morro do Ernesto é um dos morros para se aventurar em Mato Grosso do Sul.

A trilha Boca da Onça é uma das mais procuradas e amadas, em Bonito.

Ainda em Bonito, tem a trilha do Buraco das Araras e a do Formoso, que beira o rio de mesmo nome.

Em Piraputanga, você encontra a trilha do Morro do Paxixi, onde com certeza temos um dos melhores lugares pra contemplar o pôr-do-sol.

Com certeza, quem busca uma pequena aventura em Campo Grande  e arredores já ouviu falar da trilha do Céuzinho!

Ela não é muito difícil.

Além de ainda dar pra aproveitar a cachoeira!

Pra finalizar, temos uma aventura .

Isso porque Nioaque nos presenteia com uma trilha aquática, em um passeio que oferece a oportunidade única de ver as pegadas dos dinossauros que antigamente habitavam o local.

A gente esteve lá e você pode ver como foi aqui!

Bom, isso só pra citar algumas trilhas de MS!

Se quiser dar dicas para outros Mateiros, a sessão de comentários é toda de vocês!

Ah e se forem a alguma dessas, avisa lá que conheceram por meio da gente!

Inclusive, agora que você já sabe o que levar na trilha, podemos marcar uma, hein?!

A gente se vê!

Tchauu

SERVIÇO

Luane Aparecida do Amaral é nutricionista (UNICENTRO) e licenciada em Biologia (Universidade Cruzeiro do Sul), mestre e doutoranda em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro Oeste – UFMS.
E-mail: luapamaral@hotmail.com


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.