Categorias
Bioma Pantanal / Cerrado Oriente-se

Plantas medicinais do Pantanal – Ciência pantaneira

Com certeza ainda há muita cura vinda da natureza, de mais plantas existentes e a serem descobertas.

Atenção, Mateiros!

Hoje você vai aprender sobre plantas medicinais do Pantanal.

Pois é, os pantaneiros raizeiros, benzedeiras e donas de casa da região sabem como aproveitar bem nosso Pantanal como remédio natural.

Inclusive, as as informações sobre nossa riqueza vegetal que eles carregam consigo são muito preciosas.

Principalmente porque eles vivem em locais distantes do perímetro urbano, longe de atendimento médico rápido.

Já destacamos algumas plantas bem comuns em Campo Grande e agora vamos ampliar a lista para todo o bioma pantaneiro.

Flora do Pantanal e a cura pela natureza

Entre as plantas medicinais presentes na flora do Pantanal já foram descritas mais de 2 mil plantas.

Porém, a estimativa revela que esse número é muito maior, pelo menos 8 mil.

Segundo pesquisadores, mais de 300 plantas do Pantanal foram transformadas em pó e óleos essenciais.

Além do uso em cosméticos, esses itens auxiliam no tratamento de doenças.

Por isso, trouxemos uma lista que pode ajudar em tratamentos caseiros, com acompanhamento médico.

Então, bora ver algumas plantas medicinais do Pantanal:

Ipê Pantaneiro

Em primeiro lugar na nossa farmácia do mato está o ipê.

Esta espécie também é conhecida como “paratudo”.

O ipê contém um composto químico capaz de diminuir os efeitos do veneno de cobra.

Inclusive, essa substância defende a planta contra formigas e cupins também.

Ou seja, o composto que o ipê usa para se proteger também pode curar as pessoas.

Mas lembre-se: a planta é usada de forma emergencial.

Eventualmente usar o ipê não elimina o uso do soro antiofídico, em caso de picada de cobra.

Ao mesmo tempo, você pode macerar a casca do caule e ferver no leite.

Assim, ambas as formas são usadas no combate da hepatite, anemia e verminoses em geral.

Enfim, essa planta é muito procurada para uso medicinal.

Jateí Kaa

A Achyrocline alata é popularmente utilizada na medicina.

Primordialmente, essa planta medicinal é eficiente na cura de inflamações bucais.

Assim, ela ajuda a melhorar inflamações na gengiva e a eliminar bactérias causadoras de cáries.

Além disso, ela é usada em outros tratamentos.

Tais como infecção no útero e próstata, hérnia, apendicite, dores no estômago, labirintite, apendicite e bronquite.

Perobinha-do-campo

A Perobinha-do-campo é cientificamente chamada de Acosmium dasycarpum.

Aliás, esta espécie possui compostos de ação antioxidante e antimicrobiana.

Além disso, a perobinha-do-campo é receitada como anti-inflamatório.

Jacareúba, Guanandi

Conheça o Calophyllum brasiliense.

Conforme cientistas da Universidade Federal de Mato Grosso já revelaram, o guanandi tem propriedades medicinais para doenças como diabetes.

Além disso, o Guanandi é indicado popularmente para úlcera.

Por isso, o chá das folhas e da casca da jacareúba é empregado no seu tratamento.

Contudo, ele serve também como anti-inflamatório, cicatrizante e possui ação antimicrobiana.

A planta ainda é aproveitada na medicina veterinária.

Ela é usada como anti-inflamatório e para fortalecer os tendões dos animais.

Manacá

Spiranthera odoratissima A. St.-Hil é um arbusto.

Certamente, as raízes dela são utilizadas popularmente contra dores musculares.

Mas ela também é eficiente em dores de estômago e de cabeça, disfunções hepáticas, reumatismo.

Além de ela ser um ótimo estimulante do apetite.

Juntamente com as raízes, as folhas do manacá são usadas no tratamento de sífilis.

Seu uso para infecção dos rins, abscesso e reumatismo também é comum.

Açoita-cavalo

A açoita-cavalo ou Luehea paniculata Mart. tem características medicinais interessantes.

Você pode preparar chás e banhos com as folhas e ramos.

Eles são utilizados nos problemas de varizes e câimbras.

Porém, ela é usada ainda no tratamento de reumatismo.

Além de ter ação adstringente.

Em algumas regiões, os moradores usam a planta no tratamento de câncer, bronquite, gastrite e vermes.

Inclusive, ela é encontrada no cerrado, em abundância.

No Pantanal, você pode encontrá-las nas áreas do entorno e na própria planície.

Catuaba

A Anemopaegma arvense é mais conhecida como catuaba.

Ela serve para a memória, cansaço mental e estimulante do sistema nervoso.

Antes que pergunte, sim!

Ela é um estimulante sexual.

As raízes da catuaba ou alecrim-do-campo são utilizadas e tidas como afrodisíacas.

Com essas partes, as garrafadas são preparadas.

Muitas vezes, as raízes são colocadas em vinho branco.

Contudo, as partes aéreas também são usadas para banhos contra a inflamação de ovário e nos problemas de varizes.

Almécega

Você deve conhecê-la também como Breu Branco ou Protium heptaphyllum.

A casca do caule é o seu poder.

Ela é ideal para você preparar um xarope para o tratamento de tosses, bronquites e coqueluches.

Baunilha

Esta é uma belíssima orquídea pêndula, com nome científico de Vanilla palmarum Lindley.

Ela ocorre no Pantanal.

Especialmente sobre as palmeiras denominadas de acuris.

As sementes são usadas para os problemas cardíacos.

Inclusive, ela é tida como calmante.

Carapiá, Caiapiá

Enquanto cientistas a conhecem como Dorstenia asaroides Gardner, pra gente é a caiapiá.

Surpreendentemente, a raiz desta espécie é empregada na preparação de garrafadas.

Assim como o chá é preparado e utilizado principalmente no tratamento de sinusites.

Além disso, a raiz ainda é aproveitada para perfumar o fumo, misturada em forma de rapé.

Ela é encontrada em áreas sombreadas.

Erva-de-santa-luzia

Esta planta tem o nome científico de Pistia stratiotes.

Ela é uma espécie aquática encontrada no Pantanal e outros locais alagados.

Logo, o chá preparado com as folhas é usado no tratamento das enfermidades da bexiga urinária.

Mangava-brava

A Mangava-brava é chamada também de Lafoensia pacari St. Hil.

Ela é uma planta da família das Lythraceaee.

Sendo muito usada na medicina popular.

Dessa forma, ela é ótima para emagrecimento e no tratamento de peneumonia, dores de estômago e coceiras.

Inclusive, o chá é indicado para os problemas de úlceras.

Além disso, a casca do caule é macerada até se tornar pó.

Com toda a certeza, ele é tido como excelente cicatrizante.

Picão

Antes de mais nada, você pode conhecer o picão por Amor de Mulher.

Provavelmente por ser um aliado na hora das cólicas menstruais.

Porém, seu nome científico é Bidens pilosa L.

Além da ajuda às mulheres, ela é utilizada para tratar inflamações, como artrite, dor de garganta ou dor muscular.

Em razão de suas excelentes propriedades anti-inflamatórias.

Assim, as folhas e raízes são preparadas como chás.

Estes chás são indicados contra a hepatite e a icterícia.

Inclusive, o chá é ainda utilizado no tratamento renal.

Orelha-de-macaco

Também conhecida como tamboril ou timbaúva e pelo seu nome científico Enterolobium contortisiliquum.

Em princípio, as cascas retiradas das raízes são utilizadas no preparo de chás indicados no tratamento de reumatismos.

Além disso, as folhas da orelha-de-macaco possuem substâncias com atividade bactericida, fungicida, inseticida, moluscicida e larvicida.

Ou seja, elas têm grande potência em ação antitumoral, anti-inflamatória, anticoagulante e antitrombótica.

Sucupira-preta

Finalmente, a Bowdichia virgilioides.

Esta é uma árvore muito usada como planta medicinal.

Assim como a fava-de-Santo-Inácio e sucupira-branca.

Seja como for, seu uso é difundido e expressivo nos problemas inflamatórios.

Como o de garganta, por exemplo.

Em outras palavras, não apenas a natureza embeleza nossa região, mas ela também nos cura.

Definitivamente ainda há muito mais plantas a serem descobertas.

Você conhece mais alguma?

Compartilhe com a gente nos comentários!


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Gostou? Compartilhe =)