Skip to content

Constantemente encontramos um quati (Nasua nasua) por aqui, né, Mateiro?

Afinal, ele sempre aparece pelos passeios em parques de Campo Grande e, com certeza é um anfitrião mais que sociável de Mato Grosso do Sul.

Inclusive, sabia que existem três espécies de quati?

Pois é, a Nasua narica (quati-de-nariz-branco), que ocorre desde os Estados Unidos até o Panamá; a Nasua nelsoni (quati-de-cozumel), que vive na Ilha de Cozumel, México; e a Nasua nasua (quati-de-cauda-anelada), que tem passagem pela América do Sul.

Quati pokemon

Igualmente como por aqui, os quatis são os carnívoros mais abundantes na maioria dos locais onde ocorrem.

Por exemplo, no Parque do Prosa, em Campo Grande, foi encontrada uma densidade de 33,71 quatis/km² (Costa, 2003).

Já no Pantanal da Nhecolândia, foram encontradas densidades populacionais de 9,09+-5,00 (planícies inundáveis), 16,7+-2,94 (floresta) e 10,5 +-1,88 (cerrado) indivíduos/km2 (Desbiez et al. 2010).

O que o quati gosta de comer?

Antes que falemos sobre o que o quati gosta de comer, bora aprender algumas características desse bichinho.

Pois ele possui uma anatomia marcante, com o nariz pontudo, as orelhas arredondadas, a cabeça triangular, os membros anteriores mais curtos que os posteriores e a cauda longa, com vários anéis escuros.

Além disso, ele tem pelagem densa e longa, variando entre alaranjada e marrom-escura.

Quati selvagem

Ele alcança de 40 a 65 cm de comprimento quando adulto e 30,5 cm de altura, pesando até 10 kg.

Pra começar a falar sobre o que o quati come, vamos lembrar que eles são onívoros.

Dessa maneira, os quatis são generalistas e alimentam-se principalmente de frutos e insetos.

Mas eles gostam de locais com grande abundância de alimentos de origem da ação humana, como lixeiras e comedouros.

É comum a gente se perguntar como atrair quati e, dessa forma, muitas pessoas oferecem alimentos industrializados a eles.

Então, quando perto de áreas urbanas – como acontece em Mato Grosso do Sul -, quatis criam o hábito de vasculhar lixeiras e objetos humanos em busca de alimentos.

Então, nós precisamos nos conscientizar de não dar comida aos quatis e animais em geral.

Pode parecer ser legal alimentar os quatis.

Porém, assim os deixamos preguiçosos e pedintes.

Em razão dos hábitos alimentares e da elevada abundância que os quatis apresentam nos locais onde ocupam, eles desenvolvem um importante papel nas dinâmicas ecológicas florestais.

Quatis andam em bando

As fêmeas e os jovens andam em bandos.

Pois os machos adultos são expulsos por elas e só voltam em época de reprodução.

Filhote de quati

Depois do cio, a fêmea tem uma gestação de pouco mais de dois meses.

Ao nascer, os filhotes ficam em um ninho dentro das árvores, característica bastante diferente em mamíferos.

Assim, nos bandos dos quatis encontram-se de cinco a dez indivíduos.

Porém, existem registros com mais de treze indivíduos no Pantanal e até de mais de vinte, na Argentina.

Ao sentir ameaça, quati alerta o resto do bando.

Por isso, os grupos de quatis possuem vigias, que patrulham a área em busca de predadores.

Os quatis se comunicam com sons suaves, lembrando lamúrias.

Mas, ao identificar ameaças, o som é substituído por rugidos.

Para se manter seguro, o quati dorme no alto das árvores, em busca de proteção contra predadores, como raposas, cães e pessoas.

Sempre que encontrar com um quati por aí, lembre-se de dar seu oi, mas sem alimentá-lo, combinado?

Preservar a fauna é preservar o ambiente natural.

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

One thought on"Quati: os anfitriões de Mato Grosso do Sul"

  • sou um admirador e protetor da natureza e dos animais, adorei a materia porque hoje me deparei com uma familia de quatis na minha propriedade e busquei a internet para identificar os animais q ainda nao conhecia e conhecer seus habitos alimentares.

Quati: os anfitriões de Mato Grosso do Sul

Constantemente encontramos um quati (Nasua nasua) por aqui, né, Mateiro?

Afinal, ele sempre aparece pelos passeios em parques de Campo Grande e, com certeza é um anfitrião mais que sociável de Mato Grosso do Sul.

Inclusive, sabia que existem três espécies de quati?

Pois é, a Nasua narica (quati-de-nariz-branco), que ocorre desde os Estados Unidos até o Panamá; a Nasua nelsoni (quati-de-cozumel), que vive na Ilha de Cozumel, México; e a Nasua nasua (quati-de-cauda-anelada), que tem passagem pela América do Sul.

Quati pokemon

Igualmente como por aqui, os quatis são os carnívoros mais abundantes na maioria dos locais onde ocorrem.

Por exemplo, no Parque do Prosa, em Campo Grande, foi encontrada uma densidade de 33,71 quatis/km² (Costa, 2003).

Já no Pantanal da Nhecolândia, foram encontradas densidades populacionais de 9,09+-5,00 (planícies inundáveis), 16,7+-2,94 (floresta) e 10,5 +-1,88 (cerrado) indivíduos/km2 (Desbiez et al. 2010).

O que o quati gosta de comer?

Antes que falemos sobre o que o quati gosta de comer, bora aprender algumas características desse bichinho.

Pois ele possui uma anatomia marcante, com o nariz pontudo, as orelhas arredondadas, a cabeça triangular, os membros anteriores mais curtos que os posteriores e a cauda longa, com vários anéis escuros.

Além disso, ele tem pelagem densa e longa, variando entre alaranjada e marrom-escura.

Quati selvagem

Ele alcança de 40 a 65 cm de comprimento quando adulto e 30,5 cm de altura, pesando até 10 kg.

Pra começar a falar sobre o que o quati come, vamos lembrar que eles são onívoros.

Dessa maneira, os quatis são generalistas e alimentam-se principalmente de frutos e insetos.

Mas eles gostam de locais com grande abundância de alimentos de origem da ação humana, como lixeiras e comedouros.

É comum a gente se perguntar como atrair quati e, dessa forma, muitas pessoas oferecem alimentos industrializados a eles.

Então, quando perto de áreas urbanas – como acontece em Mato Grosso do Sul -, quatis criam o hábito de vasculhar lixeiras e objetos humanos em busca de alimentos.

Então, nós precisamos nos conscientizar de não dar comida aos quatis e animais em geral.

Pode parecer ser legal alimentar os quatis.

Porém, assim os deixamos preguiçosos e pedintes.

Em razão dos hábitos alimentares e da elevada abundância que os quatis apresentam nos locais onde ocupam, eles desenvolvem um importante papel nas dinâmicas ecológicas florestais.

Quatis andam em bando

As fêmeas e os jovens andam em bandos.

Pois os machos adultos são expulsos por elas e só voltam em época de reprodução.

Filhote de quati

Depois do cio, a fêmea tem uma gestação de pouco mais de dois meses.

Ao nascer, os filhotes ficam em um ninho dentro das árvores, característica bastante diferente em mamíferos.

Assim, nos bandos dos quatis encontram-se de cinco a dez indivíduos.

Porém, existem registros com mais de treze indivíduos no Pantanal e até de mais de vinte, na Argentina.

Ao sentir ameaça, quati alerta o resto do bando.

Por isso, os grupos de quatis possuem vigias, que patrulham a área em busca de predadores.

Os quatis se comunicam com sons suaves, lembrando lamúrias.

Mas, ao identificar ameaças, o som é substituído por rugidos.

Para se manter seguro, o quati dorme no alto das árvores, em busca de proteção contra predadores, como raposas, cães e pessoas.

Sempre que encontrar com um quati por aí, lembre-se de dar seu oi, mas sem alimentá-lo, combinado?

Preservar a fauna é preservar o ambiente natural.

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

One thought on"Quati: os anfitriões de Mato Grosso do Sul"

  • sou um admirador e protetor da natureza e dos animais, adorei a materia porque hoje me deparei com uma familia de quatis na minha propriedade e busquei a internet para identificar os animais q ainda nao conhecia e conhecer seus habitos alimentares.

Artigos relacionados

ARTE DE INDÍGENAS DE MS EXPRESSÕES DO PANTANAL Curiosidades sobre o Pantanal Músicas de MS que não podem faltar no karaokê A maior dolina da América do Sul