Skip to content

Bora saber mais sobre a queixada (Tayassu pecari), o porco selvagem do Pantanal.

Pra começar, este tipo de porco selvagem ganhou este apelido em razão da mania de bater os dentes.

Inclusive, ela tem dentes bem grandes e os da parte inferior ficam pra fora da boca.

Dessa maneira, o visual atrelado ao som do estalar dos dentes já é bem assustador.

Principalmente porque quando a queixada estala os dentes é porque está nervosa e pronta para o ataque.

Contudo, a queixada tem mais características interessantes.

Então, vamos a elas!

O que é queixada

Antes de mais nada, a queixada é um mamífero pertencente à família Tayassuidae.

Apesar de ser comum a confusão com javalis e porcos-monteiros.

Isso porque a aparência da queixada lembra bastante um javali, sendo forte e robusta, com pernas longas e cauda curta.

Porém, eles são bem diferentes, sendo inclusive de famílias distintas.

Aliás, a família do queixada em tupi-guarani é Tai wa’su, que significa “dentes grandes”.

Assim, ele tem hábitos diurnos e terrestres, costumando viver em bandos, como em grupos com mais de 100 espécimes.

Além disso, suas patas anteriores têm 4 dedos e as posteriores têm 3 dedos, todos com cascos.

Em geral, quando elas andam apenas dois dedos tocam o chão.

O comprimento da queixada é de, mais ou menos, 1 metro e sua pelagem varia entre tons de preto, cinza e marrom, com partes brancas no focinho.

O peso de uma queixada fica em torno de 40kg.

Mas, por incrível que pareça, a alimentação dela é à base de raízes, frutos e caules, fazendo trilhas e deixando marcas de suas fuçadas ao solo, em busca de alimento.

Porém, sua dieta pode ser variada e baseada em coisas fáceis de encontrar.

Em alguns casos, a queixada pode chegar a se alimentar de carniça e de aves.

A pesquisadora Alexine Keuroghlian, do Instituto Ambiental Quinta do Sol, em Taboco, distrito do município de Corguinho, em Mato Grosso do Sul, fez um estudo revelando que as queixadas se alimentam principalmente de Buriti (Maurytia flexuosa), uma palmeira localizada em áreas úmidas, que possui frutos carnosos.

Ou seja, a queixada ainda tem um importante papel como dispersora de sementes de alguns frutos.

Queixada exala cheiro desagradável quando irritado

Porém, outra característica típica da queixada é o odor que solta em situação de ameaça.

Ela solta esse cheiro inconfundível que vem da glândula secretora localizada do lado direito, em seu dorso, próximo à cauda.

Quando está irritada, ela fica com uma faixa de pelo do dorso arrepiada e exala este cheiro bastante desagradável, que espanta geral.

Dessa forma, poucos animais ousam atacar a queixada.

Apenas a onça e o homem costumam se atrever com essa presa.

queixada com filhote
Photo credit: Chriest on Visual Hunt / CC BY-NC-SA

Além do Pantanal, a queixada é um animal mamífero encontrado ainda em algumas áreas da América do Sul e da América Central.

Ainda existem muitas outras denominações para a queixada: pecari, porco-do-mato, sabacu, queixo-ruivo, tacuité, taiaçu, taguicati, tajaçu, tiririca, tanhocati e miguel.

No Pantanal, na região do Nabileque e próximo à Bolívia, é comum a queixada de pelo avermelhado, chamada regionalmente de “canela-ruiva”.

A caça preferida do homem pantaneiro

As queixadas não costumam atacar o homem.

Porém, mesmo assim, elas são bastante prejudicadas pela caça.

Atualmente, as queixadas estão sendo criadas em cativeiro com objetivos econômicos.

Pois sua carne é muito apreciada e o seu couro tem alto valor de venda.

No Brasil, as queixadas encontram-se em perigo em grande parte do território.

Por isso, a criação de áreas de conservação é fundamental.

Assim como a recuperação das áreas degradadas e formação de corredores ecológicos.


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Conheça a queixada, porco selvagem do Pantanal

Bora saber mais sobre a queixada (Tayassu pecari), o porco selvagem do Pantanal.

Pra começar, este tipo de porco selvagem ganhou este apelido em razão da mania de bater os dentes.

Inclusive, ela tem dentes bem grandes e os da parte inferior ficam pra fora da boca.

Dessa maneira, o visual atrelado ao som do estalar dos dentes já é bem assustador.

Principalmente porque quando a queixada estala os dentes é porque está nervosa e pronta para o ataque.

Contudo, a queixada tem mais características interessantes.

Então, vamos a elas!

O que é queixada

Antes de mais nada, a queixada é um mamífero pertencente à família Tayassuidae.

Apesar de ser comum a confusão com javalis e porcos-monteiros.

Isso porque a aparência da queixada lembra bastante um javali, sendo forte e robusta, com pernas longas e cauda curta.

Porém, eles são bem diferentes, sendo inclusive de famílias distintas.

Aliás, a família do queixada em tupi-guarani é Tai wa’su, que significa “dentes grandes”.

Assim, ele tem hábitos diurnos e terrestres, costumando viver em bandos, como em grupos com mais de 100 espécimes.

Além disso, suas patas anteriores têm 4 dedos e as posteriores têm 3 dedos, todos com cascos.

Em geral, quando elas andam apenas dois dedos tocam o chão.

O comprimento da queixada é de, mais ou menos, 1 metro e sua pelagem varia entre tons de preto, cinza e marrom, com partes brancas no focinho.

O peso de uma queixada fica em torno de 40kg.

Mas, por incrível que pareça, a alimentação dela é à base de raízes, frutos e caules, fazendo trilhas e deixando marcas de suas fuçadas ao solo, em busca de alimento.

Porém, sua dieta pode ser variada e baseada em coisas fáceis de encontrar.

Em alguns casos, a queixada pode chegar a se alimentar de carniça e de aves.

A pesquisadora Alexine Keuroghlian, do Instituto Ambiental Quinta do Sol, em Taboco, distrito do município de Corguinho, em Mato Grosso do Sul, fez um estudo revelando que as queixadas se alimentam principalmente de Buriti (Maurytia flexuosa), uma palmeira localizada em áreas úmidas, que possui frutos carnosos.

Ou seja, a queixada ainda tem um importante papel como dispersora de sementes de alguns frutos.

Queixada exala cheiro desagradável quando irritado

Porém, outra característica típica da queixada é o odor que solta em situação de ameaça.

Ela solta esse cheiro inconfundível que vem da glândula secretora localizada do lado direito, em seu dorso, próximo à cauda.

Quando está irritada, ela fica com uma faixa de pelo do dorso arrepiada e exala este cheiro bastante desagradável, que espanta geral.

Dessa forma, poucos animais ousam atacar a queixada.

Apenas a onça e o homem costumam se atrever com essa presa.

queixada com filhote
Photo credit: Chriest on Visual Hunt / CC BY-NC-SA

Além do Pantanal, a queixada é um animal mamífero encontrado ainda em algumas áreas da América do Sul e da América Central.

Ainda existem muitas outras denominações para a queixada: pecari, porco-do-mato, sabacu, queixo-ruivo, tacuité, taiaçu, taguicati, tajaçu, tiririca, tanhocati e miguel.

No Pantanal, na região do Nabileque e próximo à Bolívia, é comum a queixada de pelo avermelhado, chamada regionalmente de “canela-ruiva”.

A caça preferida do homem pantaneiro

As queixadas não costumam atacar o homem.

Porém, mesmo assim, elas são bastante prejudicadas pela caça.

Atualmente, as queixadas estão sendo criadas em cativeiro com objetivos econômicos.

Pois sua carne é muito apreciada e o seu couro tem alto valor de venda.

No Brasil, as queixadas encontram-se em perigo em grande parte do território.

Por isso, a criação de áreas de conservação é fundamental.

Assim como a recuperação das áreas degradadas e formação de corredores ecológicos.


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Artigos relacionados

ARTE DE INDÍGENAS DE MS EXPRESSÕES DO PANTANAL Curiosidades sobre o Pantanal Músicas de MS que não podem faltar no karaokê A maior dolina da América do Sul