fbpx

O Aquário do Pantanal, ou o Centro de Pesquisas e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira, é uma promessa linda, cheia de expectativas ambientais e para o turismo de Mato Grosso do Sul.

Atração turística e polo de conhecimento, com biblioteca e laboratório, o Aquário do Pantanal abrigaria mais de 7 mil animais de água doce, mais de 200 espécies, vivendo em quase 7 milhões de litros de água.

Uma conquista histórica para Campo Grande, o Aquário do Pantanal seria um atrativo 5 estrelas para os turistas e moradores da Capital de Mato Grosso do Sul.

O Aquário do Pantanal seria uma importante ferramenta de conservação de animais aquáticos e de pesquisa, com repercussão científica e tecnológica incalculáveis para Mato Grosso do Sul e o bioma Pantanal.

Mas o que deu errado? O de sempre.

O que é o Aquário do Pantanal depois de tanto tempo

Projetada para ser o maior aquário de água doce do mundo, a obra do Aquário do Pantanal já ultrapassa os R$ 200 milhões de dinheiro público e ainda nada de ficar pronta.

Após licitação de R$ 80 milhões, além de aditivos que elevaram o custo da obra do Aquário do Pantanal a R$ 105 milhões, vemos claramente que o que foi contratado não foi o executado.


Aquário em 2011 | Foto: Deurico/Capital News

Desde 2011, estamos nessa espera de trabalhos de uma quadrilha, unida para fraudar contratações públicas, em obras públicas, desviando recursos públicos.

Com inauguração prevista para 2013, chegou 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e até agora nada.

Foram muitas as desculpas para as paralisações da obra do Aquário do Pantanal: como as chuvas em Campo Grande e a força-tarefa que deflagrou a Operação Lama Asfáltica, que se iniciou numa licitação direcionada para o serviço de coleta de lixo na Capital, tendo fraude na execução pela mesma empresa.

Nisso, a empresa Anembi, responsável pelo projeto Biodiversidade Para Todos” – que cuidava do processo de quarentena dos peixes que iriam povoar o Aquário do Pantanal -, deixou muitas espécies morrerem.

Os animais foram adquiridos em 2014 e, desde então, estão sob a guarda ambiental da Polícia Ambiental de Mato Grosso do Sul. São 7 mil animais da região do Pantanal e também do município de Bonito.

Biólogos, zootecnista e veterinários tomam conta dos animais, mas depois de R$ 220 milhões, o Aquário do Pantanal ainda precisa de muito dinheiro para ficar pronto.
Por esse motivo, a retomada do Aquário não era mais prioridade.

Porém, ao conhecer os detalhes do projeto, o atual governo entendeu que o abandono dessa obra custaria muito mais caro aos cofres públicos.

Então em 2018, uma equipe de engenheiros e arquitetos esteve no Aquário, a fim de avaliar os itens e custos necessários para a conclusão da obra.


A última atualização sobre o Aquário é novamente a retomada da obra, agora em 2019.
No dia 8 de maio deste ano, o governo anunciará nova licitação, em reunião que acontecerá no próprio canteiro de obras do Aquário do Pantanal, no Parque das Nações Indígenas.

Sendo otimistas, a inauguração ficaria para o segundo semestre de 2020.

Será que agora vai?

|

Mato Grosso do Sul, Oriente-se

Nome:
Email:
Site:
Escreva seu comentário: