Skip to content

Uma volta onde vive o Cervo-do-Pantanal

Apesar de o cenário não ser pós-apocalíptico como o do menino-cervo, de Sweet Tooth, da Netflix, o local onde vive o cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) teve sua área perdida e precisa de protetores.

Atualmente, este que é o maior cervídeo da América do Sul ainda vive em abundância apenas no Pantanal e na Ilha do Bananal, em Tocantins.

Porém, a espécie originalmente ocorria desde o rio Amazonas até a Argentina.

Assim, ele costumava habitar o Peru, a Bolívia e o Paraguai também.

Tendo isso em vista, vem com a gente conhecer o cervo-do-pantanal e descobrir a sua importância.

Quais as características do cervo-do-pantanal?

Logo que chegamos ao local onde vive o cervo-do-pantanal, percebemos que não é à toa que ele é o maior cervídeo da América do Sul.

Uma volta onde vive o Cervo-do-Pantanal - Aquele Mato

Pois este ruminante pode chegar a pesar 130 kg e medir entre 1,2 m e 1,2 m de altura.

Apesar de ser tanto machos quanto fêmeas serem animais de grande porte, eles se distinguem pela galhada.

Esta característica do cervo-do-pantanal é exclusiva dos machos, e os chifres ramificados possuem de 30 a 60 cm de comprimento.

Eventualmente, esses chifres podem cair.

Mas voltam a nascer a cada ano.

Além disso, o cervo-do-pantanal apresenta uma pelagem alaranjada, com ventre esbranquiçado e pernas e focinho pretos, com orelhas grandes e arredondadas e rabo curto.

Ainda sobre as características físicas, a espécie possui cascos alongados e membranas interdigitais, que impedem que o animal afunde no lodo.

Ao mesmo tempo que se parece com o veado-campeiro, o cervo-do-pantanal tem órbitas mais laterais e inferiores.

Dessa forma, ele tem uma visão mais completa quando em direção ao solo.

Provavelmente, esta é uma adaptação aos deslocamentos em áreas inundadas.

Para falar da reprodução, no local onde vive o cervo-do-pantanal, nascimentos acontecem entre maio e julho,

Uma volta onde vive o Cervo-do-Pantanal - Aquele Mato

Pois é quando o nível das águas está na vazante no Pantanal.

Assim, nasce apenas um filhote, pesando de 4 a 5 kg.

Em geral, filhotes de cervídeo nascem manchados.

Mas não é o caso de filhotes do cervo-do-pantanal, que já nascem com a pelagem semelhante a dos adultos.

Claramente, esta espécie é alvo de muitos predadores, como onças-pardas, onças-pintadas e sucuris.

Por outro lado, ele se alimenta principalmente de gramíneas e plantas aquáticas e semiaquáticas.

Embora sua carne não seja utilizada para alimentação humana, o cervo-do-pantanal ainda sofre bastante com a caça, por causa do couro e galhada.

O cervo-do-pantanal corre risco de extinção?

Apesar da caça ao cervo-do-pantanal, a maior ameaça que ele sofre são as doenças transmitidas pelo gado doméstico e a perda do seu habitat.

Ou seja, o avanço de fazendas, a expansão das cidades e a construção de hidrelétricas colaboram para destruir o local onde vive o cervo-do-pantanal.

Assim, conforme avaliação do risco de extinção do cervo-do-pantanal, a espécie se encontra como vulnerável.

Por isso, existe a necessidade de ações para a conservação da espécie.

Afinal, tudo que a gente deseja é ver cada vez mais a vida se desenvolvendo na natureza, né?

Lembre-se de compartilhar com a gente sua opinião nos comentários.

A gente se vê nas trilhas!