Skip to content

Tem peixe piranha no Pantanal?

Quem nunca teve medo do peixe piranha, em razão de tantas histórias sobre como ele devora um ser humano, né?

E como não falta peixe piranha no Pantanal, é dele que vamos falar!

Pra começar, a gente sabe que eles são peixes de água doce.

Além de serem muito rápidos, ainda conseguem destruir um pedaço de carne em questão de segundos.

Inclusive, a palavra “piranha” vem da linguagem dos Tupis, nativos do Brasil.

Ela é a união das palavras “pira”, ou peixe, e “ranha”, que significa dente.

Mas eles seriam mesmo capazes de engolir da carne até os ossos de um ser humano?

Bora descobrir!

Piranha é um peixe voraz

Logo que vemos o quanto a piranha é um peixe voraz, com seus dentes afiados e triangulares, o medo está instalado.

Isso porque a gente sabe que ela precisa de apenas alguns segundos para triturar a sua presa.

Inclusive, seus dentes não são feitos para mastigar, mas para rasgar e engolir a carne.

Além de ela ter o talento de notar uma gota de sangue em 200 litros de água e perceber por meio da vibração da água quando há um animal ferido por perto.

Assim, ela se alimenta de outros peixes pequenos, moluscos, répteis filhotes e carcaças de animais maiores ou qualquer animal que caia no seu habitat.

Porém, sabemos que pode ser difícil imaginá-la devorando um animal tão grande, por ela ter de 25 a 40 centímetros de comprimento, dependendo da espécie.

Por falar nisso, elas fazem parte da família Characidae, com mais de 1200 espécies.

Inclusive, muitas das espécies ainda podem ser comuns no aquarismo, como o Tetras.

Qual a piranha mais perigosa?

Entre tantas espécies, você deve estar se perguntando qual a piranha mais perigosa.

Com certeza, a piranha-vermelha (Pygocentrus nattereri) é a mais agressiva.

Imagem de Rethinktwice por Pixabay

Inclusive, algumas tribos indígenas usam os dentes dela para confeccionar pontas de flechas.

Ela é onívora, mas a preferência alimentar dela é piscívora.

Ou seja, ela busca se alimentar com microcrustáceos, insetos, sementes ou nadadeiras de peixes menores.

Porém, se no grupo tiver um indivíduo ferido, ele pode acabar sendo atacado e devorado pelos outros. 

Portanto, ocorre o canibalismo na espécie.

Especialmente entre jovens e no período de seca, quando os alimentos são mais limitados.

Apesar de ser um método eficiente e raro, em época de maré baixa, elas podem se juntar a um grupo de até 100 indivíduos, para atacar as presas maiores.

Assim, elas se espalham atrás dessas presas e, quando as localizam, enviam sinais para as outras piranhas.

Dessa maneira, todas se apressam para o ataque, mordem a presa e nadam para abrir caminho para as demais. 

Porém, elas preferem caçar por perseguição ou emboscada.

Depois dela, entre as piranhas mais perigosas temos a piranha-preta (Serrasalmus rhombeus), com seus olhos avermelhados brilhantes, ótima visão e excelente olfato.

Geralmente, é um peixe solitário, mas agressivo e voraz.

Além de comer nadadeiras de outros peixes, ele pode atacar animais terrestres que cruzam o rio.

Dessa forma, ele ataca de forma frenética.

Existem relatos de bois devorados por cardumes de piranhas em época de seca.

Isso porque as águas do rio recuam e as piranhas aprisionadas nesses lagos ficam cada vez mais irritadas e famintas.

Por isso, muitos boiadeiros sacrificam um animal do rebanho, para os outros atravessarem a água com segurança.

Daí surge a expressão “boi de piranha”.

Peixe piranha é estrela de novela

Conforme essa fama de devoradora crescia, a piranha até ganhou uma ponta na TV.

Além dos filmes de ataques de piranhas assassinas, na história da telenovela “Pantanal”, de 1990, exibida na extinta TV Manchete, as piranhas serviam para matar algumas personagens.

Isso porque diziam que elas não deixaram rastro.

Pois atacavam em cardume, digeriam toda a carne e os ossos iam para o fundo do rio.

Pode comer piranha?

Dizem que, em algumas partes da Amazônia, comer piranha é proibido.

Mas no Pantanal ela é um prato bem popular.

Tanto que está entre os pratos típicos de Mato Grosso do Sul.

Assim, ela pode ser consumida como caldo, peixe grelhado e até sashimi.

Como ela é um peixe que vive à procura de carne, os pescadores da região a capturam facilmente, colocando pedaços de carne com sangue na água.

O que fazer se for mordido por piranha?

Se você for mordido por piranha, lave o ferimento com água e sabão por cerca de 10 minutos.

Pois isso vai evitar uma infecção bacteriana.

Em caso de uma mordida mais profunda, procure um posto de saúde, para tomar a vacina antitetânica.

Como vimos, os ataques fatais são bem raros e normalmente o ataque resulta em apenas uma mordida.

Agora que você já conhece mais do peixe piranha, comenta aí se já saiu pra pescar um por aqui!

Aliás, aproveita pra conhecer mais peixes do Pantanal!

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Gente boa é a capivara A terra do ET BILU O Baratão de Corumbá Peixes do Pantanal Urutau – Mãe-da-lua