Categorias
Mato Grosso do Sul

Em Costa Rica, turismo atrai curiosos atrás do santo fujão

Além das belezas naturais, Costa Rica chama atenção pela história do santo fujão, que faz parte da cultura da região.

Já vimos por aqui o quanto Costa Rica é especial quanto ao seu turismo, né?!

Inclusive, aposto que tem muito Mateiro aí doido pra dar um rolê por lá, depois de tanto tempo em isolamento.

A gente também tá morrendo de saudades, Costa Rica!

Mas, além de todas as belezas naturais, a cidade ainda conta com uma lenda que faz a cidade ser foco no turismo religioso.

Em síntese, estamos falando do santo fujão.

Bora saber mais desta lenda!

História do santo em Costa Rica

Do mesmo modo que já comentamos sobre tantas lendas que enriquecem a nossa cultura, o santo fujão de Costa Rica entra para a lista de personagens da nossa cultura e turismo.

Pra começar, voltamos ao início no século 18.

Em 5 de agosto de 1838, chegam o Major Martim Gabriel de Melo Taques e sua esposa, Ana Fausta Garibaldina de Melo Taques.

Com o casal, veio o santo do Senhor Bom Jesus.

Eles estavam fugindo da Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, e chegaram pelo Rio Taquari ao Chapadão de Baús (que hoje é distrito de Costa Rica).

Dessa forma, é nesse momento que tomam posse da área e fundam a Fazenda Santo Antônio dos Dois Córregos.

Por ser muito devota, Ana fez uma pequena capela.

Mas, com o passar do tempo, Ana acaba adoecendo e morrendo.

Então, o major resolveu voltar para sua cidade natal, com todos os seus pertences, incluindo a imagem do santo.

Porém, durante a volta acontece uma forte tempestade no caminho.

Assim, uma das carroças é atingida por um raio e era justamente no carro que carregava a imagem do Senhor Bom Jesus.

Nesse momento, ele sente aquilo como um sinal de sua esposa e resolve voltar para Costa Rica.

Ela era muito devota ao senhor bom jesus e, como a capela em que o santo era guardado estava bastante velha, os moradores decidiram fazer um lugar novo para ele.

Mas, no dia seguinte à mudança, o Senhor Bom Jesus tinha voltado para a antiga capela.

Mesmo que os moradores o colocassem na nova construção, ele teimava em reaparecer na capelinha da zona rural.

Em seguida, a solução!

Agora ele não pode mais sair, pois os devotos decidiram cortar os pés do Senhor Bom Jesus e ele nunca mais saiu da capela.

Desde então, ele é conhecido como Santo Fujão.

Turismo e homenagem ao Santo Fujão

Todos os anos, no primeiro domingo de agosto, os devotos mantêm a tradição em homenagem ao Santo Fujão. 

Ou seja, peregrinos do Brasil inteiro se encontram na caminhada da fé, que acontece de madrugada. 

Assim, cerca de 1300 pessoas percorrem os 22 quilômetros entre a Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua na praça central de Costa Rica e a Capela do Nosso Senhor Bom Jesus.

Quem quiser dar um oi para o o santo, a capela está localizada na MS-306, a 30 km do município de Costa Rica.

E não foge, não. Se passar por lá, manda foto pra gente!

A gente se vê!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *