Skip to content

Que Mateiro não curte aquela mandioca amarela, né?!

Isso porque ela é o acompanhamento inseparável de vários pratos típicos de Mato Grosso do Sul, com certeza.

Porém, cada região do Brasil conhece a mandioca por diferentes nomes.

Tais como aipim, castelinhas, macaxeira e macamba.

Mas todos são denominações de mandioca.

Então, cada uma das denominações da mandioca difere-se por características próprias em relação à quantidade de amido, consistência, cor etc.

Inclusive, até o tempo de plantio da mandioca pode ser diferente, variando de 10 meses, entre as mais precoces, até a mais de um ano e meio.

Assim, ela é absoluta em terras tupiniquins antes mesmo de os colonizadores portugueses chegarem por aqui.

Por isso, a gente a tem “Rainha do Brasil”.

Alias, sabia que a rainha dos ingredientes brasileiros é o alimento do século 21, eleita pela Organização das Nações Unidas?

Qual diferença entre mandioca amarela e branca?

Inicialmente, é importante lembrar que esta raiz, nativa da América do Sul, a mandioca é dividida em duas variedades principais, a mandioca amarela e a branca.

Por isso, temos que explicar a diferença de cor entre os dois tipos.

Assim, isso se deve ao fato de que a variedade amarela é mais rica em carotenoides

Ou seja, substâncias antioxidantes que, no organismo humano, se transformam em vitamina A.

Porém, vamos lembrar que ela pode ser uma raiz tóxica.

Dessa forma, ela não deve ser consumida sem antes ser processada.

Pois possui ácido cianídrico (HCN), um veneno perigoso a partir de certa dosagem.

Nesse contexto, a diferença entre a mandioca brava e a mansa pode ser descoberta em testes laboratoriais, onde a mansa deverá apresentar quantidades inferiores do ácido.

Então, a parte boa sobre a mandioca amarela é o fato de ela ter até 50 vezes mais caroteno.

Essa é a substância que gera a vitamina A, nutriente importante para o fortalecimento da retina, pele e mucosas.

Ou seja, a mandioca branca tem em torno de 0,4 miligrama de caroteno em um quilo do produto.

Enquanto a variedade amarela pode apresentar até 26 miligramas da substância.

Energética, a mandioca é uma planta duradoura pertencente à família das Euforbiáceas e rica em carboidratos e vitaminas do Complexo B, cálcio, ferro e fósforo.

Mandioca é ingrediente para outros produtos

A partir da mandioca, podemos produzir diferentes farinhas e vários subprodutos, como polvilho e tapioca.

Por isso, nosso amor não para de crescer, né?!

Em Mato Grosso do Sul, a mandioca amarela é um dos segredos que diferenciam nosso churrasco.

Pois tanto cozida quanto frita, ela é um aperitivo que não pode faltar nos bares da Capital, Campo Grande.

churrasco com carne e mandioca

Assim, a tradição sul-mato-grossense também leva o ingrediente em outras receitas regionais, como pirão de peixe e farofa.

Inclusive, por isso, o Brasil ainda está entre os principais países produtores de mandioca.

Mas ele acaba perdendo espaço nesse ranking em razão das áreas de monocultura de soja, cana e eucalipto.

Atualmente, a mandioca é explorada também em todos os países sul e centro-americanos e nas Antilhas.

De sabor mais apurado e gostoso, a mandioca amarela é um dos pontos tradicionais da cultura de Mato Grosso do Sul.

E aí, bora marcar o churrasco com mandioca amarela?

Então, conta pra gente se ela é um item essencial por ai também?!

A gente se vê nas trilhas!

Tchauu.

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Mandioca amarela, parte da gastronomia de Mato Grosso do Sul

Que Mateiro não curte aquela mandioca amarela, né?!

Isso porque ela é o acompanhamento inseparável de vários pratos típicos de Mato Grosso do Sul, com certeza.

Porém, cada região do Brasil conhece a mandioca por diferentes nomes.

Tais como aipim, castelinhas, macaxeira e macamba.

Mas todos são denominações de mandioca.

Então, cada uma das denominações da mandioca difere-se por características próprias em relação à quantidade de amido, consistência, cor etc.

Inclusive, até o tempo de plantio da mandioca pode ser diferente, variando de 10 meses, entre as mais precoces, até a mais de um ano e meio.

Assim, ela é absoluta em terras tupiniquins antes mesmo de os colonizadores portugueses chegarem por aqui.

Por isso, a gente a tem “Rainha do Brasil”.

Alias, sabia que a rainha dos ingredientes brasileiros é o alimento do século 21, eleita pela Organização das Nações Unidas?

Qual diferença entre mandioca amarela e branca?

Inicialmente, é importante lembrar que esta raiz, nativa da América do Sul, a mandioca é dividida em duas variedades principais, a mandioca amarela e a branca.

Por isso, temos que explicar a diferença de cor entre os dois tipos.

Assim, isso se deve ao fato de que a variedade amarela é mais rica em carotenoides

Ou seja, substâncias antioxidantes que, no organismo humano, se transformam em vitamina A.

Porém, vamos lembrar que ela pode ser uma raiz tóxica.

Dessa forma, ela não deve ser consumida sem antes ser processada.

Pois possui ácido cianídrico (HCN), um veneno perigoso a partir de certa dosagem.

Nesse contexto, a diferença entre a mandioca brava e a mansa pode ser descoberta em testes laboratoriais, onde a mansa deverá apresentar quantidades inferiores do ácido.

Então, a parte boa sobre a mandioca amarela é o fato de ela ter até 50 vezes mais caroteno.

Essa é a substância que gera a vitamina A, nutriente importante para o fortalecimento da retina, pele e mucosas.

Ou seja, a mandioca branca tem em torno de 0,4 miligrama de caroteno em um quilo do produto.

Enquanto a variedade amarela pode apresentar até 26 miligramas da substância.

Energética, a mandioca é uma planta duradoura pertencente à família das Euforbiáceas e rica em carboidratos e vitaminas do Complexo B, cálcio, ferro e fósforo.

Mandioca é ingrediente para outros produtos

A partir da mandioca, podemos produzir diferentes farinhas e vários subprodutos, como polvilho e tapioca.

Por isso, nosso amor não para de crescer, né?!

Em Mato Grosso do Sul, a mandioca amarela é um dos segredos que diferenciam nosso churrasco.

Pois tanto cozida quanto frita, ela é um aperitivo que não pode faltar nos bares da Capital, Campo Grande.

churrasco com carne e mandioca

Assim, a tradição sul-mato-grossense também leva o ingrediente em outras receitas regionais, como pirão de peixe e farofa.

Inclusive, por isso, o Brasil ainda está entre os principais países produtores de mandioca.

Mas ele acaba perdendo espaço nesse ranking em razão das áreas de monocultura de soja, cana e eucalipto.

Atualmente, a mandioca é explorada também em todos os países sul e centro-americanos e nas Antilhas.

De sabor mais apurado e gostoso, a mandioca amarela é um dos pontos tradicionais da cultura de Mato Grosso do Sul.

E aí, bora marcar o churrasco com mandioca amarela?

Então, conta pra gente se ela é um item essencial por ai também?!

A gente se vê nas trilhas!

Tchauu.

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Artigos relacionados

ARTE DE INDÍGENAS DE MS EXPRESSÕES DO PANTANAL Curiosidades sobre o Pantanal Músicas de MS que não podem faltar no karaokê A maior dolina da América do Sul