Categorias
Bioma Pantanal / Cerrado

Baru vem de árvore nativa do Cerrado

Baru (Dipteryx alata) é o fruto do baruzeiro, árvore nativa do Cerrado brasileiro que produz uma deliciosa castanha.

Ela pode ser colhida no cerrado brasileiro, pelos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins – e numa parte da Bolívia.

A época da colheita de baru acontece de junho a setembro, antes de começar a temporada de chuvas.

A árvore pode atingir até 25m de altura e é bastante empregada na indústria moveleira e na construção civil, por sua madeira ser muito resistente.

Sabor do Cerrado

Primeiramente, vamos falar do sabor. O gosto da castanha de baru é único e suave, caindo muito bem ao paladar tanto em pratos salgados como doces.

Frequentemente é possível ouvir seu apelido “Viagra do Cerrado”, que ganhou por ser considerado um alimento afrodisíaco.

Da castanha do baru é possível extrair um óleo semelhante ao azeite de oliva, que apresenta substâncias importantes na prevenção da hipertensão e redução do colesterol total e LDL (colesterol ruim).

É importante ressaltar que todos esses elementos regularizam a glicose no sangue, reduzem a gordura abdominal, a incidência de câncer e ajudam na cicatrização e queda de cabelo, agindo ainda como um potente antioxidante.

Além disso, a polpa do baru também é uma importante fonte de alimento para a fauna nativa e para o gado.

Castanha Baru

Castanha como comida fitness

Atualmente, a castanha do baru é uma ótima opção para quem busca comida fitness, pois ela é rica em proteínas, ácido graxos, fibras, minerais, ferro e zinco.

O baru ainda pode ser usado no combate à anemia, em razão da grande quantidade de ferro

É um superalimento para atletas ou pessoas que seguem uma dieta vegana ou vegetariana, que usam o baru em busca da ingestão de proteínas.

É possível comer o baru de várias formas:

– Como petisco, num mix de castanhas (ótimo para quem gosta de acompanhar com uma cervejinha, para os não tão fitness).

– Pouco triturado, como num pesto com manjericão;

– Muito triturado, fazendo farinha para bolos e biscoitos ou para empanar e fritar depois.

– Com cacau e chocolate amargo, tornando-se na barutella!

As propriedades da polpa de baru ainda estão em estudos, mas a previsão é de também ter um potencial nutritivo incrível.

Infelizmente, essa espécie tão rica está ameaçada de extinção, em razão da destruição do Cerrado, avanço da agropecuária e do seu corte, pela qualidade da madeira.


APOIE AQUELE MATO

Se quiser continuar acompanhando nosso conteúdo e nos ver florescer, colabore com o nosso trabalho PicPay ou pelo Apoia-se.

Os recursos são usados para a manutenção do blog e para manter o acesso gratuito a todos.

Gostou? Compartilhe =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *