Skip to content

Buraco do Inferno, Forte Coimbra

Buraco do Inferno, Forte Coimbra

Buraco do Inferno em Forte Coimbra

Conheça brevemente a história

Coronel português que projetou o Forte Coimbra, Ricardo Franco deixou em sua fachada a escrita “Repelir o inimigo ou sepultar-se debaixo das ruínas do forte”.

Com o tempo recebeu a homenagem de ter seu nome na gruta que faz parte do complexo turístico do local, em Corumbá, antes conhecida como Buraco do Inferno.

Gruta Ricardo Franco, Buraco do Inferno

Porém, não há registro de quando a gruta foi descoberta.

Inclusive, ainda é um lugar conhecido por poucos e não muito explorado.

Apesar de estar situada a apenas três quilômetros do Forte.

Ainda assim, é uma das mais antigas cavernas registradas no Brasil.

Mas o único fator histórico é a escrita deixada pelo Capitão Rondon na parede da gruta em sua passagem pela cidade.


“Capitão Rondon em visita à célebre gruta, penetrou pela primeira vez no dia 12 de Aristóteles de 115, em visita de reconhecimento para instalação das linhas telegráficas em forte Coimbra.”
A data se refere a 09 de março de 1903.

Buraco do Inferno com cara de paraíso

Buraco do Inferno

Para chegar a esse incrível lugar, o caminho já é um atrativo.

Pois são 2 horas navegando pelo rio Paraguai em meio à biodiversidade exuberante do Pantanal.

Por certo, você se depara com um lago natural de águas transparentes em seu interior e muito a se explorar entre estalactites e estalagmites.

Porém, o calor no interior da gruta é muito grande.

Por isso, apenas 3 espécies de animais sobrevivem lá dentro: morcego, grilo albino e camarões.

Buraco do Inferno

Essa é uma aventura imperdível!

Vários causos são contados sobre o local.

Muitas histórias envolvem nossos amigos extraterrestres e a mais conhecida é a do padre que foi explorar a caverna e desapareceu.

Inclusive, é um bom momento de lembrar que o acesso à gruta só pode ser feito com a autorização e acompanhamento do Exército.

É um lugar impressionante e quem gosta de histórias, como a gente, vai gostar muito de conhecer.

Dizem os moradores mais antigos que existem várias outras grutas mais afastadas e ainda não totalmente exploradas.

E aí, se anima?!

Então comenta aí se já conhece ou tem vontade de conhecer!

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Buraco do Inferno, Forte Coimbra

Buraco do Inferno em Forte Coimbra

Conheça brevemente a história

Coronel português que projetou o Forte Coimbra, Ricardo Franco deixou em sua fachada a escrita “Repelir o inimigo ou sepultar-se debaixo das ruínas do forte”.

Com o tempo recebeu a homenagem de ter seu nome na gruta que faz parte do complexo turístico do local, em Corumbá, antes conhecida como Buraco do Inferno.

Gruta Ricardo Franco, Buraco do Inferno

Porém, não há registro de quando a gruta foi descoberta.

Inclusive, ainda é um lugar conhecido por poucos e não muito explorado.

Apesar de estar situada a apenas três quilômetros do Forte.

Ainda assim, é uma das mais antigas cavernas registradas no Brasil.

Mas o único fator histórico é a escrita deixada pelo Capitão Rondon na parede da gruta em sua passagem pela cidade.


“Capitão Rondon em visita à célebre gruta, penetrou pela primeira vez no dia 12 de Aristóteles de 115, em visita de reconhecimento para instalação das linhas telegráficas em forte Coimbra.”
A data se refere a 09 de março de 1903.

Buraco do Inferno com cara de paraíso

Buraco do Inferno

Para chegar a esse incrível lugar, o caminho já é um atrativo.

Pois são 2 horas navegando pelo rio Paraguai em meio à biodiversidade exuberante do Pantanal.

Por certo, você se depara com um lago natural de águas transparentes em seu interior e muito a se explorar entre estalactites e estalagmites.

Porém, o calor no interior da gruta é muito grande.

Por isso, apenas 3 espécies de animais sobrevivem lá dentro: morcego, grilo albino e camarões.

Buraco do Inferno

Essa é uma aventura imperdível!

Vários causos são contados sobre o local.

Muitas histórias envolvem nossos amigos extraterrestres e a mais conhecida é a do padre que foi explorar a caverna e desapareceu.

Inclusive, é um bom momento de lembrar que o acesso à gruta só pode ser feito com a autorização e acompanhamento do Exército.

É um lugar impressionante e quem gosta de histórias, como a gente, vai gostar muito de conhecer.

Dizem os moradores mais antigos que existem várias outras grutas mais afastadas e ainda não totalmente exploradas.

E aí, se anima?!

Então comenta aí se já conhece ou tem vontade de conhecer!

A gente se vê nas trilhas.

Tchauu!

Aquele Mato

Somos a Lua e o Diogo. Dois sul-mato-grossenses que criaram este espaço pra falar do nosso amor pelo Estado e mergulhar na nossa cultura. Queríamos um lugar não só para os amantes da natureza e das nossas belezas, mas também para quem se interessa pela história e quer ler, pensar e trocar experiências vividas por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

*

Artigos relacionados

EXPRESSÕES DO PANTANAL Curiosidades sobre o Pantanal Músicas de MS que não podem faltar no karaokê A maior dolina da América do Sul 10 insetos encontrados na América do sul