Categorias
Mato Grosso do Sul

Paineiras: a beleza nas nossas ruas

As paineiras são as majestosas árvores cujos frutos, quando amadurecem, dão origem à paina, aquela nuvenzinha de algodão branco.

Mateiro, bora se encantar com as nossas paineiras!

Sabe aquela nuvenzinha de algodão branco?

Pois é! Essa mesma!

Ela está entre as árvores que soltam penugem na primavera campo-grandense.

Além do gostinho de infância no interior de MS, as paineiras também servem de alimento e medicamento.

Inclusive, ela é bastante usada pelas populações tradicionais.

Então, vamos conhecer um pouco mais das paineiras e seus benefícios.

Tipos de paineiras

Pra começar, existem diferentes tipos de paineiras.

Atualmente ela é da família botânica Malvaceae.

Antes, elas eram classificadas como da família Bombacaceae.

Além de estarem espalhadas pelo Brasil, as paineiras ocorrem em outros países.

Então são várias as espécies de paineiras.

Por isso, é comum ser conhecida por muitos nomes que variam conforme a região.

Bom, por aqui, elas são responsáveis pelas lindas paisagens.

Principalmente quando as paineiras florescem.

Logo vêm os frutos.

Em síntese, eles amadurecem entre agosto e setembro, com a árvore despida de folhagem.

Inclusive, seu formato lembra o de abacates.

Enfim, vamos ao que interessa!

Uma vez que chegou até aqui, bora falar das paineiras mais comuns em Mato Grosso do Sul.

Paineira-rosa (Ceiba speciosa)

Em primeiro lugar, esta árvore enche a cidade de tons rosados.

Sem dúvidas, ela traz uma beleza singular para nossa região.

Assim, ela chega a medir entre 15 e 30 metros de altura.

Por usa vez, o tronco fica entre 80 e 120 centímetros de diâmetro.

Quando jovem, ele apresenta espinhos grandes que impedem a subida de mamíferos e répteis.

Dessa forma, o tronco protege os pássaros que se alimentam dos frutos e sementes da árvore.

Além disso, o tronco das paineiras é esverdeado e tem boa capacidade de fazer fotossíntese.

Sendo as folhas dele verde-escuras, lisas e de 6 cm a 12 cm de comprimento.

Durante o calor, os frutos se abrem naturalmente e liberam as sementes, envolvidas em painas.

Em contraste, as flores de cor rosa têm miolo branco e garantem a beleza única.

Logo fica fácil perceber que a paineira-rosa é extremamente ornamental.

Inclusive, você pode usá-la em arborização de ruas, praças e parques.

Sobretudo durante a sua floração, que ocorre de dezembro a abril.

Paineira-branca (Ceiba glaziovii)

Antes de mais nada, a paineira-branca tem poucas diferenças da paineira-rosa.

Além da cor das flores, os espinhos são o diferencial mais notável.

Pois eles se mantêm mesmo com a planta já adulta.

Paineira-Barriguda-do-Pantanal (Chorisia pubiflora)

Inegavelmente, esta paineira se tornou clássica pelas ilustrações do livro “O Pequeno Príncipe”, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry.

Inclusive, ela é comumente confundida com orquídea.

Tanto que ela costuma ser aplicada como peça ornamental na arborização de ruas.

Além disso, ela tem um porte grande.

Sendo ideal para abrigo de aves.

Especialmente esta espécie ocorre apenas no Pantanal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bolívia e Paraguai.

Benefícios da paineira

Agora vamos ver os benefícios da paineira e como ela vem sendo usada.

Embora sua madeira seja considerada leve e pouco resistente, ela é aplicada na construção de vários objetos.

Assim, você pode vê-la em canoas, cochos para o gado, gamela e caixotaria, por exemplo.

Além disso, as painas são aproveitadas como enchimento de almofadas, colchões e bichos de pelúcia.

Isso porque elas apresentam alta qualidade.

Agora, atenção!

De acordo com nossa equipe do mato, segue uma dica boa pra quem gosta de acampar.

Com toda a certeza, a paina pode ser útil como filtro.

Pois você pode colocar a paina em uma garrafa pet cortada como funil e filtrar a água.

É provável ainda que você conheça alguém que saiba um benefício à saúde que a paineira proporciona.

Por exemplo, rumores dizem que da casca dá pra fazer diversos remédios.

Tais como para inflamação do fígado, tratamento de hérnias, reumatismo, problemas cardíacos e pressão alta.

Inclusive, há boatos de que o infuso desta árvore também é usado para tratar contusões e fraturas.

Assim como o ipê, a paineira é uma panc.

Ou seja, as folhas da paineira podem ser ingeridas e são fontes de proteína e de fósforo.

Inclusive, as folhas jovens podem ser consumidas cruas, na salada.

Mas elas também podem ser cozidas, refogadas e ensopadas.

Os frutos jovens podem ser preparados como quiabos.

Paineiras são parte da nossa história

Pra finalizar, a verdade é que as paineiras fazem parte da nossa história.

Isso porque elas marca nossas vidas, infância e momentos com a família.

Pois a sua fenomenal presença é parte de muitas histórias compartilhadas, né?

Afinal, quem nunca tomou um tereré na sombra de uma paineira?

Aqui, em Campo Grande, a gente encontra paineiras em muitos lugares, como praças e no paisagismo urbano em geral.

Tal como no canteiro central da Av. Fernando Côrrea da Costa.

Geralmente o engenheiro florestal prefere as paineiras.

Pois, além de bonitas, elas apresentam rápido crescimento e são perfeitas na recuperação de áreas degradadas.

Agora me fala.

Tem alguma paineira florida aí?!

Melhor ainda, sabe do uso da paineira para alguma coisa que a gente não citou?

Conta tudo!

Ah e manda fotos ou marque a gente no Instagram @AqueleMato.

A gente se vê!

Tchaau!

Gostou? Compartilhe =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *